Por thiago.antunes

Brasília - A despeito das ordens de Michel Temer para evitarem campanhas a fim de preservar a base no Congresso, alguns dos principais subordinados atuaram discreta ou escancaradamente no pedido de votos para candidatos a prefeitos ou vereadores.

Geddel Lima (Governo) e Eliseu Padilha (Casa Civil) ajudaram in loco ou à distância os aliados na Bahia e Rio Grande do Sul, respectivamente. Ronaldo Nogueira (Trabalho) gravou vídeos distribuídos pelo whatsapp. Alexandre de Moraes (Justiça) fazia ‘corpo-a-corpo’ com candidato tucano em Ribeirão Preto quando soltou a frase infeliz sobre a Lava Jato.

Faz de cego

O presidente da República, Michel Temer, perdeu o controle de seus subordinados. Há quem diga no Planalto que foi o chefe quem liberou a turma de última hora.

Pula fora

Senadores articulam para derrubar Gleisi Hoffman (PT-PR) da presidência da Comissão de Assuntos Econômicos diante do inquérito aberto no STF. Ela substituiu Delcídio.

Ítalo-britânico 

A Lava Jato começa a descobrir que o ‘italiano’ na planilha de Marcelo Odebrecht é na verdade um ‘inglês’ – começam a surgir conexões de Palocci com Londres.

Em Velho Chico..

Com o fim da novela Velho Chico, vale um bastidor sobre o ‘laboratório’ feito pelo ator Marcelo Serrado no Congresso Nacional, onde aprendeu trejeitos dos parlamentares para fazer papel de um na trama. Ele ouviu do senador Reguffe (DF) que existem, sim, muitos bons políticos no País, apesar da má fama. Serrado mudou sua visão.

..Como nasceu Bento

O ator levou a ideia para o diretor Luiz Fernando Carvalho, antes da novela ir ao ar, e Velho Chico – que teria só um deputado mal caráter – ganhou um vereador bonzinho. Foi o ‘Bento dos Anjos’. Inspirado nas dicas de Reguffe sobre políticos do bem. 

Sedentarismo, não

Apesar do novo ritmo de trabalho, o secretário de alto rendimento do Ministério do Esporte, Luiz Lima, acorda às 5h30 diariamente, no Rio ou em Brasília, para nadar. O ministro Leonardo Picciani pedala todo sábado e domingo.

Voto a voto

Amanhã após às 17h os internautas poderão acompanhar no site do TSE - < www.tse.jus.br > a apuração em tempo real na sua cidade.

Show..

Há uma patota de empresas de assessorias ganhando verbas milionárias. A FSB tem quase 100 profissionais no Ministério da Saúde. No site da pasta não há telefones de plantão para fins de semana nem e-mail.

..do milhão

No Maranhão, Flávio Dino, que entrou com discurso de cortes, paga R$ 6 milhões ao Grupo Informe – Roseana Sarney pagava quatro vezes menos à CDN , e ainda era caro. A mesma CDN cobra R$ 30 milhões da Presidência para assessoria internacional – algo que o setor de imprensa do Itamaraty poderia fazer com algum esforço.

Dedo em riste

A senadora Gleisi (PR-PR) prepara a defesa contra a investida dos adversários. Dirá que colegas, como o presidente do PMDB, Romero Jucá (RR), e o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), também estão na mira da Lava Jato.

Comedido

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, parece ter entrado na linha após o pito do presidente Michel Temer. Cercado e orientado por assessores, falou o básico do básico em entrevistas que concedeu em Goiânia sobre o atentado que matou o candidato a prefeito de Itumbiara, José Gomes da Rocha (PTB).

Jeito Santana

Nestes tempos de eleição, vale lembrar o que citou certo dia, antes de ser preso, o marqueteiro João Santana: “Os candidatos são tão humanos e muitas vezes mais frágeis do que o eleitor. Ninguém gosta de levar porrada. Ou se enfurece e reage, ou se quebranta”. Isso explica o tom agressivo de seus clientes. 

Ponto Final

“Dia triste, perdi um amigo, um irmão".

Do deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO), que estava ao lado do prefeito assassinado José Gomes, em Itumbiara.

Coluna de Leandro Mazzini

Você pode gostar