Ex-governadores do Tocantins são alvos de operação da Polícia Federal

Sandoval Cardoso (SD) foi preso temporariamente. Já Siqueira Campos (PSDB) foi conduzido coercitivamente para a sede do órgão em Palmas

Por O Dia

Palmas - O ex-governador de Tocantins Sandoval Cardoso (SD) foi preso na manhã desta quinta-feira pela Polícia Federal. Outro ex-governador do Estado, José Wilson Siqueira Campos (PSDB), foi alvo de mandado de condução coercitiva. Os dois são investigados pela Operação Ápia, deflagrada hoje que desarticulou esquema que fraudava licitações públicas e execução de contratos celebrados para a terraplanagem e pavimentação em diversas rodovias estaduais. A PF também faz buscas na Secretaria de Infraestrutura do Estado, a Seinfra.

Sandoval Cardoso sendo empossado por Siqueira Campos%2C em 2014 Divulgação/Secom Tocantins

Os dois foram governadores do Tocantins entre 2011 a 2014, quando celebraram contrato de financiamento firmado com o Banco do Brasil, objetivando obter recursos do BNDES e captados no exterior no valor de R$ 1,2 bilhão, bem como a concretização de aditivos, contratos de garantia e de liberação dos recursos.

Na decisão judicial que autorizou as ações, o Ministério Público Federal menciona o fato de na eleição de 2014,  José Wilson Siqueira Campos ter renunciado ao governo para eleger o filho, Eduardo Siqueira Campos, deputado estadual. A campanha deste último teria se beneficiado de doações eleitorais das empresas investigadas na Operação Ápia; assim como as candidaturas de Sandoval e de Eduardo  Gomes, que disputaram, sem sucesso, no mesmo ano para governador e senador. Eduardo Siqueira Campos foi eleito e, por ter prerrogativa de foro, não é alvo, neste momento, da operação.

Ex-governadores são alvo da Operação Ápia%2C da PF%2C que investiga desvio de R%24 1%2C2 bilhão em licitaçõesDivulgação / Secom Tocantins

Mais de 350 policiais federais participam da operação. Ao todo, 113 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal estão sendo cumpridos, sendo 19 mandados de prisão temporária, 48 de condução coercitiva e 46 de busca e apreensão nas cidades de Araguaína, Gurupi, Goiatins, Formoso do Araguaia, Riachinho e Palmas, no Tocantins; Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis, em Goiás; São Luís, Governador Nunes Freire e Caxias, no Maranhão. Também estão sendo cumpridos mandados em Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Brasília (DF) e Cocalinho (MT).

O nome da operação se refere à Via Ápia, uma das principais estradas da antiga Roma.


Últimas de Brasil