Coluna Esplanada: Governo monitora redes sociais pela PEC 241

Palácio classificou campanha contra medida de indústria da mentira

Por O Dia

Brasília - O Governo monitora nas redes sociais o que classifica de indústria da mentira contra a PEC 241, a do ‘teto dos gastos’. Adeptos da ideologia partidária que perdeu o Poder espalham que haverá corte de verba para educação e saúde.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) publicou no seu Facebook uma comparação de que é como tirar leite dos filhos e o remédio da vovó, para comprar o uísque do pai. Um famoso ator da era da internet alinhado ao PT também divulgou um vídeo desinformado no Youtube.

Intensivão

Na rede, Gregório Duvivier levou aula do Phd Alan Ghani, que explicou a PEC: proíbe que se gaste mais do que se arrecada, e que os gastos não subam mais que a inflação.

Enquadrados

A PEC também corta a língua verborrágica de políticos palanqueiros, os que prometem o mundo sem ter um tostão em caixa, gastam tudo (e mal) e depois culpam a crise.

The Voice

O economista Raul Velloso tornou-se a “eminência parda” para assuntos econômicos do Governo de Michel Temer. É a voz do Planalto em reuniões com governadores

Ciro, a opção

Nos partidos de centro e esquerda cresceu nos últimos dias a aposta de que Lula da Silva já era para disputa de 2018, com três processos nas costas, e a grande possibilidade de se tornar ficha suja até a campanha presidencial condenado em 2ª instância. Ciro Gomes passou a ser o nome cotado para uma coalizão PDT-PT-PCdoB.

Xerifão

Leandro Daiello, diretor da PF, nega que vá se aposentar. Informa que apenas solicitou em processo de praxe um adicional de aposentadoria por dias trabalhados, comum para quem já passou do prazo de se afastar – e isso indica que não pretende sair do cargo.

Depois da dura

Depois de algumas declarações que incomodaram o Palácio do Planalto, a líder do governo no Congresso, senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), entrou na linha. Circula pelas duas Casas pregando a aprovação da PEC que limita os gastos públicos. 

Afinada

“O povo brasileiro já entendeu que sem tomar essas medidas ‘duras’, o País não vai sair da recessão. Não tem como falar outra linguagem que não seja essa”, assinala Rose.

Com apito

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, decidiu instalar nova CPI da Funai/Incra. A anterior acabou em agosto, sem relatório. Nilson Leitão (PSDB) será relator, de novo.

SUS só pra tu

Há cinco meses aguarda indicação de relator o projeto que obriga os políticos de todas as esferas a usarem apenas o SUS no território nacional. Será por quê? A proposta é do deputado Cabo Daciolo (PTdoB-RJ).

Emergência geral

De acordo com o projeto, a obrigatoriedade de uso do SUS em caso de doença será estendida ao parentes ou afins em 1º grau dos detentores dos cargos eletivos e valerá enquanto durar o mandato; além disso, proíbe o ressarcimento de gastos hospitalares.

Dona Marcela

Reportagem do suíço “Tages Anzeiger” informa que a primeira-dama Marcela Temer vive à antiga realeza francesa, “servida por 50 empregados na residência oficial enquanto o povo passa fome.” E a compara a Maria Antonieta. (https://bit.ly/2dq8VZx)

Do seu, do nosso

O senador Reguffe (sem partido-DF), notório pela contenção de gastos, resumiu o jantar no Alvorada na véspera da votação da PEC do teto: “É uma brincadeira de mau-gosto com o contribuinte, principalmente para se discutir controle de gastos.”

Cadê o exemplo?

Vale lembrar, a Coluna publicou a farra dos carros com motoristas – diariamente praxe em Brasília – e garrafas de Blue Label (quase R$ 700) circulando nas mesas.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil