Por bianca.lobianco

Rio - A Polícia Rodoviária Federal flagrou há dias um caso sério de saúde pública que merece atenção da Anvisa. Foi apreendido numa estrada na fronteira com o Rio Grande do Sul um caminhão de transporte de gasolina do Uruguai carregado de gordura vegetal para a indústria alimentícia do Sul, em especial para fábricas de chocolates. Num depoimento informal do motorista detido, os policiais descobriram que os carregamentos são constantes e que já houve lobby de políticos e de agentes públicos para liberar outras cargas.

Tóxicos 

O escândalo é evidente: há tempos isso tem acontecido e há suspeita de que haja resina de combustíveis em matéria prima para fabricação de chocolates no Brasil.

MP na pista

Após o flagrante, um agente de fronteira detonou o esquema de transporte irregular e liberação de cargas ao Ministério Público Federal. Vem rodo aí.

Mineiroca

Se Aécio Neves quiser recuperar o quinhão eleitoral, deve retornar a Minas. Político ausente não faz voto. O mineiro sabe que ele há muitos anos mora no Leblon — e batia ponto de terça a quinta no Palácio da Liberdade quando governador.

Reflexão (na rua)

O PT voltará aos tempos de barracas de venda de camisas, bottons e bonés na rua. É ideia de parte da cúpula. Reencontrar-se com o povo e voltar às origens na tentativa de se reerguer. Esse papel ficou para o Psol e PSTU — dos quais se distanciou.

Recado das urnas

Num universo de 4,9 milhões de eleitores, Crivella (PRB) foi eleito com 500 mil votos de diferença. Não é pouco, mas também não é muito.

Detalhes gritantes

O resultado no Rio indica que institutos de pesquisa acertaram o índice de Crivella e inflaram o de Freixo em até 10 pontos.

Ponto Final

Crivella garantiu em entrevista ao SBT que vai manter patrocínio ao Carnaval e a parada gay no Rio. A conferir.

Você pode gostar