Eduardo Cunha chama Temer e Lula como testemunhas de defesa na Lava Jato

Defesa do ex-presidente da Câmara estão em lista de 22 testemunhas convocadas

Por O Dia

Brasília - O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) convocou  Michel Temer (PMDB) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como testemunhas de defesa em ação penal da Operação Lava Jato. Ao todo, Cunha já tem 22 testemunhas.

Eduardo CunhaLula Marques/ Agência PT

O peemedebista foi preso preventivamente no dia 19 de outubro por ordem do juiz Sérgio Moro.

As testemunhas de Cunha são parte da da resposta do ex-presidente da Câmara à denúncia do Ministério Público Federal. De acordo com a acusação, Cunha teria recebido e solicitado vantagem indevida, relacionada à aquisição, pela Petrobrás de um campo de petróleo em Benin. Tudo isso entre 2010 e 2011,  no exercício de sua função como parlamentar e em razão dela.

Cunha é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão fraudulenta de divisas pela manutenção de contas secretas na Suíça que teriam recebido propina do esquema na Petrobrás.

Ele também chamou Cunha como testemunhas o ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró, os ex-ministros Henrique Alves (Turismo/Governo Michel Temer), Mauro Lopes (Aviação Civil/Governo Dilma), o ex-deputado João Paulo Cunha (PT), o pecuarista José Carlos Bumlai (amigo de Lula), o economista Felipe Diniz, filho do ex-líder do PMDB na Câmara Fernando Diniz, morto em 2009, o vice-governador de Minas Gerais Antônio Eustáquio Andrade Ferreira (PMDB), os deputados Leonardo Quintão (PMDB-MG), Saraiva Felipe (PMDB-MG), o deputado estadual João Magalhães (PMDB-MG), Nelson Tadeu Filipelli (PMDB-DF), o ex-gerente da área Internacional Pedro Augusto Cortes Xavier Bastos, o ex-senador Delcídio Amaral (ex-PT), o professor de Direito José Tadeu de Chiara, o lobista Hamylton Padilha, o ex-funcionário da Petrobrás Sócrates José Fernandes Marques da Silva e funcionários do Banco Merril Lynch.



 

Últimas de Brasil