Coluna Esplanada: Preço do gás intoxica mercado nacional

Levantamento comprovou que o valor do gás natural produzido no Brasil é até 30% mais caro que o importado na Bolívia

Por O Dia

Brasília - A Associação Brasileira das Empresas de Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) fez levantamento inédito que comprova que o preço do gás natural produzido no Brasil é até 30% mais caro que o importado da Bolívia – e muito menos competitivo que o gás nos mercados internacionais (EUA, Reino Unido, Rússia, Alemanha). Em agosto, o gás produzido nas Bacias de Campos (RJ) e Santos (SP) chegou a R$ 19,38/MMBTU, 30,8% acima do valor cobrado pelo gás importado da Bolívia (R$14,81/ MMBTU), e já incluída a tarifa de transporte.

$aldo

Ganham os hermanos, em bilhões de reais em negócios e em geração de impostos, e incremento comercial da cadeia do setor. Aliás, a Bolívia, hoje, cresce mais que o Brasil

É pior

Considerando apenas o custo da commodity boliviana, sem tarifa de transporte aplicada pela Petrobras, o preço do gás produzido no Brasil chega a ser 114,8% superior.

Memória 1

A diferença do gás nacional para o boliviano fica mais acentuada na comparação com os números de agosto de 2015, quando ainda eram praticados os descontos pela Petrobras.

Memória 2

Naquela ocasião, o custo do gás produzido no País era de R$ 24,08/MMBTU, 3,2% abaixo do valor cobrado pela Petrobras para o gás boliviano (R$ 24,85/ MMBTU).

Dada a largada

Com Rodrigo Maia (DEM-RJ) praticamente fora do páreo para a disputa pela presidência da Câmara Federal em fevereiro, a corrida começou para valer, e Rogério Rosso (PSD-DF) desponta claramente como o nome apoiado pelo Planalto. Correm por fora Jovair Arantes (PTB-GO) e o líder do Governo, André Moura (PSC-SE).

Caderninho

Celso Russomano (PRB-SP) tem ligado para deputados para sondar seu nome – e pedir votos para os que indicam que há possibilidade de se lançar.

Sem alarde

O cruzamento de dados do INEP – órgão vinculado ao Ministério da Educação – e as investigações da Polícia Federal identificou dezenas de novos indícios de fraudes nas provas do Enem. São flagrantes as semelhanças de gabaritos, o que aumentam as suspeitas de que criminosos repassaram respostas para candidatos.

No sapatinho

As investigações da PF com dados do INEP transcorrem sem alarde para evitar mais ações com pedido de anulação das provas.

Vergonha

Apenas seis Estados e o Distrito Federal divulgaram seus dados de 2015 sobre os inquéritos policiais de homicídios instaurados com autoria menores – entre crianças e adolescentes, conforme divulgou a Coluna. Com a palavra, as secretarias de Segurança de SP, Rio, Minas, Pará entre outros, que escondem seus números.

Batalha do ‘Bolsa’

A ex-ministra Tereza Campello critica o propalado pente-fino no Bolsa Família: “Trata- se do cruzamento de grandes bases de dados como vem sendo feito desde 2009. A cada ano, o mecanismo foi aperfeiçoado. Desta vez, além da RAIS incluíram o CAGED. Todas as outras bases já são utilizadas”.

Dicas do DG

O diretor-geral da PF, delegado Leandro Daiello, apresentou sugestões de alterações no projeto do combate à corrupção para fortalecer a corporação e a investigação policial. O Deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) prometeu analisá-las.

Upload

Em meio ao discurso do corte de gastos, o Planalto está disposto a desembolsar mais de R$ 600 milhões na substituição dos chamados “softwares livres” por programas da Microsoft. A fatura pode ser maior, porque há ministérios que ainda estudam aderir.

Tá bom..

A alegação do governo para a visível mudança ideológica é de que os softwares usados por governos petistas “não oferecem segurança”.

?Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil