Por lucas.cardoso

Brasília - Uma ameaça de bomba feita no início da tarde desta segunda-feira, que causou a interdição da sede do Ministério da Fazenda por cerca de três horas, foi descartada.  Após buscas, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) confirmaram que não havia nenhum conteúdo explosivo no pacote deixado na entrada do prédio.  A entrada no prédio já foi liberada. 

Inicialmente, um robô inspecionou o conteúdo com raio-x, que descartou a presença de materiais explosivos. Em seguida, um oficial do Bope vestido com equipamentos de proteção examinou a sacola e eliminou o risco de material químico. Dentro do pacote, havia apenas uma carta com o título Teoria do Caos assinada por alguém que se intitulava doutor em energia e ambiente e um papel pedindo a saída do presidente Michel Temer.

A sacola também continha o crachá roubado de uma funcionária concursada do Ministério da Fazenda. De acordo com a Polícia Militar, a servidora caminhava na semana passada pelo Setor de Autarquias Sul, a cerca de três quilômetros do ministério, quando foi roubada por um homem que disse que “explodiria o governo”.

Por causa da ameaça de bomba, o Ministério da Fazenda passou três horas interditado. Por volta das 13h, um segurança avistou a sacola com o endereço do ministério perto da portaria principal e acionou os brigadistas do prédio, que chamaram a polícia. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, permaneceu no prédio até por volta das 15h30, quando saiu escoltado por batedores para uma reunião com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto.


*Com informações da Agência Brasil

Você pode gostar