PF faz operação contra desvios de verbas do Museu do Trabalho em São Paulo

Trinta e dois mandados judiciais são cumpridos em São Paulo, Santos, no ABC Paulista, Barueri, Rio de Janeiro e Brasília

Por O Dia

São Paulo - A Polícia Federal (PF) e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagraram na manhã desta terça-feira uma operação contra suspeitos de desviar recursos da construção do Museu do Trabalho em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Foram expedidos 32 mandados pela 3ª Vara Federal de São Bernardo do Campo, sendo oito de prisão temporária, oito de condução coercitiva e 16 de busca e apreensão. As ações ocorrem, além do próprio município, em São Paulo, Santos (SP), Barueri (SP), no Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Dinheiro apreendido na Operação HefestaDivulgação / Polícia Federal

A CGU estima que R$ 13 milhões foram desviados das obras do museu, projeto feito em parceria pela prefeitura de São Bernardo e o governo federal. A controladoria diz ter encontrado diversas irregularidades na execução do contrato, como falhas na licitação, terceirização irregular, superfaturamento e pagamento por serviços não executados.

Há ainda indícios de que a prefeitura fraudou informações do Sistema Oficial de Convênios do Governo Federal e fez alterações não autorizadas no projeto, aumentando os custos da obra. Segundo a CGU, o esquema envolve empresários e agentes públicos.

A construção do museu foi iniciada em 2012. Inicialmente previstos para durar nove meses, os trabalhos ainda não foram concluídos e estão paralisados. O convênio celebrado entre o Ministério da Cultura e a prefeitura de São Bernardo soma um total de R$ 21,6 milhões. Desse montante, foram repassados R$ 11,1 milhões do Fundo Nacional da Cultura.


Últimas de Brasil