Esplanada: PMDB volta a articular candidatura de Eunício Oliveira ao Senado

Dificuldades crescem quando o nome de Renan Calheiros é colocado como moeda de troca

Por O Dia

Brasília - As articulações para que o PMDB consolide a candidatura do senador Eunício Oliveira (CE) à presidência do Senado, serão retomadas com força na próxima segunda-feira. Vítima de fogo amigo, ele reagiu à notícia de que desistiu da eleição. As dificuldades crescem quando o nome de Renan Calheiros (AL) é colocado como moeda de troca. As divergências podem provocar uma terceira via com a senadora Simone Tebet (MS). Sua herança política foi construída pelo pai, Ramez Tebet, que presidiu o Senado entre 2001 e 2003.

Recordar é viver

Lula da Silva e Fernando Henrique viajaram juntos para o velório do papa João Paulo II, em 2005. No avião presidencial, Lula comeu galinha cabidela. FHC, uma fritada de lula.

Enigmático

Presidente Michel Temer botou mais gasolina na fogueira do falatório sobre a reforma ministerial. “Vamos ver no ano que vem”.

Substituições

A troca de ministros poderá acontecer em fevereiro no Planejamento, Turismo, Saúde e Itamaraty e indicação do novo ministro para a Secretaria de Governo. No pacote entram também as lideranças do Governo no Senado e na Câmara.

Espada

Depois de ameaçar não assumir como vice-prefeito de João Pessoa, o deputado Manoel Júnior (PMDB-PB) fechou acordo com o prefeito reeleito Luciano Cartaxo (PSD), para concorrer ao governo estadual em 2018. Pesou também a notificação judicial protocolada ontem à tarde. O advogado Marlon Reis mirou na inelegibilidade e na perda de mandato, caso Manoel não vire vice-prefeito.

Silêncio

Deputado Danilo Forte (PSB-CE) desconversa sobre seu futuro político como eventual candidato ao Senado ou ao governo cearense. “Estou cuidando do partido”, disse à Coluna.

Fim de uma era

Crise no Jornalismo impresso determinou o fim da edição do Notícias do Dia, em Santa Catarina. Já o tradicional A Notícia, com mais de 80 anos, está à venda.

Na Terrinha

O novo salário mínimo será de cerca de R$ 2 mil, em Portugal. É menos do que seria o ideal no Brasil, segundo o Dieese, de R$ 3,9 mil.

De grão em grão

Na vida real brasileira, o mínimo passa de R$ 880,00 para R$ 937 em janeiro. Parece pouco, mas o 13º salário do mínimo injetou na economia, em dezembro, o equivalente a 3% do PIB.

Peso previdenciário

Detalhe interessante nessas estimativas do Dieese: dos 84 milhões de brasileiros beneficiados pelo 13º salário, 33,6 milhões são aposentados e pensionistas da Previdência Social.

Venda de ativos

O Tribunal de Contas da União aprovou ontem a venda de parte da Petrobras Biocombustível para a francesa Tereos Internacional, e do complexo petroquímico de Suape, para a mexicana Alpek. Valor do negócio: US$ 587 milhões (pouco mais de R$ 2 bilhões).

No próximo ano

Agora falta a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A justiça de Sergipe barra a conclusão dos negócios dos campos de Tartaruga Verde e Baúna. Assim, a meta de desinvestimento da Petrobras, de US$ 21 bilhões, fica para o ano que vem.

Corre corre

A justiça barrou o repasse de recursos da repatriação para centenas de prefeituras. Na outra ponta, o governo federal se esforçou para liberar hoje R$ 7 bilhões em emendas parlamentares.

Ponto Final

Do ministro Moreira Franco: “Foi difícil 2016, mas também houve acertos. Estamos criando as condições para o Brasil voltar a crescer”.

Coluna de Leandro Mazzini