Por clarissa.sardenberg

Brasília - A base do governo tem certeza que, apesar das resistências, conseguirá aos trancos e barrancos aprovar a reforma previdenciária. Na Câmara, a proposta estaria aprovada até março. No Senado, em junho. A questão não se resume a um calendário palaciano. A oposição deu início ao mapeamento de dissidentes da base aliada do presidente Michel Temer. A primeira ideia é reunir parlamentares suficientes para tentar obstruir a tramitação da Reforma da Previdência na comissão especial – que será instalada em fevereiro – no plenário da Câmara.

Aliados na tristeza

A Minoria conta com o apoio das entidades sindicais e espera a dissidência de no mínimo 50 parlamentares da base. O foco por enquanto é a bancada do PMDB.

Alerta do Norte

Da série eu aviei. Há dois meses, os senadores Telmário Mota (PDT-RR) e Jorge Viana (PT-AC) avisaram que o sistema carcerário do Norte se transformaria numa tragédia.

Ineficaz

Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado Padre João (PT-MG), a chacina no presídio de Manaus ocorreu sob “as vistas omissas ou cúmplices de seus agentes e autoridades”.

Terceira via

Pessoal do bloco do centrão não gostou da visita de Jovair Arantes (PTB-GO) ao Palácio do Planalto para falar sobre sucessão na presidência da Câmara. O PSD também está desconfiado com o deputado Rogério Rosso (DF). Se ele não embalar a candidatura à presidência da Casa, pode ser alçado Rômulo Gouvea (PB).

Caciques & Pataxós

Alvo dos brasileiros emergentes e os ricos tradicionais, Miami está perdendo a graça para uma turma endinheirada tupiniquim, e Trancoso voltou a ser o destino exclusivo cobiçado. O banqueiro Ronaldo Cézar Coelho constrói uma mansão de R$ 9 milhões no litoral baiano. De frente para o mar. David Feffer, do mercado de celulose, idem.

Na moita

Um executivo da Odebrecht preso na Lava Jato e logo solto, chamado de Dr. Alex, foi visto feliz com a família numa praia baiana neste fim de semana.

Tratamento Vip

Alheio às especulações de que pode ser minado por ‘aliados’ que desejam seu cargo, o ministro da Saúde dá tratamento vip a parlamentares que pedem audiência. Nenhum deles fica mais que dois minutos na antessala. Ricardo Barros os convida a ficar nos sofás de seu gabinete enquanto termina uma reunião ou despacho.

Estacionado

Arrasta-se no Senado a PEC que reduz de 513 para 405 deputados federais. O número mínimo de deputados federais passaria de 8 para 4, nos estados com menor população, e o número máximo de 70 para 50, nos estados mais populosos.

Nocaute técnico

Em Correntina, na Bahia o prefeito eleito Maguila (PCdoB), suspendeu a coleta de lixo. Avisa em carros de som para o povo segurar o lixo dois dias em casa até ele colocar ordem nos serviços públicos. Acusa o antecessor tucano de desordem nas contas.

Caminho paralelo

Os servidores da Receita Federal não deixarão de frequentar o Salão Verde, mesmo após a publicação da Medida Provisória que concedeu um robusto aumento na folha de pagamento no final de dezembro. Os auditores fiscais, especialmente, enxergam uma conspiração contra o órgão em dois projetos de lei, o 5864/2016, que tramita na Câmara, e o 406/2016, que está no Senado.

Aparelhamento

Observam que especialmente o projeto no Senado instala o “caos administrativo”, porque derrubaria a “autoridade do auditor fiscal” e ataca o cargo em suas prerrogativas e atribuições. De acordo com o Sindifisco Nacional, os dois textos tem em comum o poder de viabilizar o aparelhamento político na Receita Federal.

Bota e bombacha

O senador Paulo Paim (PT-RS) diz estar pronto para a guerra contra as mudanças nas leis trabalhistas, que embala a onda reformista de Michel Temer.

Ponto Final

Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) quer ampliar os direitos trabalhistas da categoria. Vai pressionar pela aprovação do projeto 8255.

Você pode gostar