Motim em Alcaçuz chega ao sétimo dia e presos voltam ao teto de pavilhões

Durante a madrugada, houve novos ataques a ônibus na capital potiguar

Por O Dia

Natal - A Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, na Grande Natal, chegou, nesta sexta-feira, ao seu sétimo dia de rebelião. Pela manhã, o clima era de relativa tranquilidade, apesar da circulação livre dos detentos pelos pavilhões, alguns deles ocupando o teto das estruturas ainda com as bandeiras hasteadas.

Rebelião teve corre-corre e ataques entre presos no presídio de Alcaçuz%2C no Rio Grande do NorteReprodução/Globonews

O motim foi retomado após a saída da maior parte dos policiais de batalhões de operações especiais, que haviam entrado no local no fim da tarde desta quinta-feira. Com o término da operação, os pavilhões das unidades prisionais voltaram a ser controlados pelos detentos.

Ataques

Durante a madrugada, houve novos ataques a ônibus na capital potiguar. Uma garagem voltou a ser invadida na Zona Norte de Natal e mais dois veículos foram queimados. Mais de 20 coletivos já viraram alvo de criminosos em ações que a polícia acredita que estejam ligadas à rebelião em Alcaçuz.

As empresas de ônibus decidiram dispensar seus funcionários e suspenderam a circulação das linhas municipais, causando transtornos a cerca de 400 mil passageiros que dependem do serviço.

Últimas de Brasil