Corpo do ministro Teori Zavascki é enterrado em Porto Alegre

Emocionados, os filhos não contiveram o choro. Mais cedo, juiz Sérgio Moro prestou homenagem e declarou que ele foi um herói nacional

Por O Dia

Rio Grande do Sul - O corpo do ministro do STF Teori Zavascki foi enterrado por volta das 18h15 no cemitério Jardim da Paz, na zona leste de Porto Alegre. Emocionados, os filhos não contiveram o choro. O caixão desceu ao túmulo sob os toques de clarin da guarda de honra do Regimento Osório do Exército e uma salva de palmas dos presentes. A missa foi realizada pelo arcebispo de Porto Alegre, Jaime Spengler. Teori morreu na última quinta-feira, em um acidente aéreo em Paraty, no litoral sul do Rio.

Amigos e familiares reunidos no enterro do ministro Teori Zavascki%2C no cemitério Jardim da Paz%2C em Porto AlegreEFE

O juiz federal Sérgio Moro compareceu ao velório do ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, neste sábado, na sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. Ele declarou que o magistrado foi um herói pelos serviços prestados ao país como relator no STF dos processos relacionados à Operação Lava Jato.

“Acredito que pela qualidade, relevância e importância desses serviços que ele prestava e pela situação difícil desses processos, ele foi um grande herói”, ressaltou. “Há uma grande desolação da magistratura, de todos que o conheciam, especialmente aqui da 4ª Região, onde ele construiu sua carreira”, disse o juiz ao deixar a cerimônia.

Moro se recusou a responder perguntas sobre como irá ficar a relatoria da Lava Jato no STF com a morte de Teori e disse que havia ido apenas participar do velório.

Temer vai aguardar indicação do STF 

O presidente Michel Temer também foi prestar homenagem e falou à imprensa. Ele disse que só vai indicar o substituto de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal (STF) "após a indicação de um novo relator". Caberá à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, redistribuir o processo da Operação Lava Jato, que Teori relatava. "Só depois que houver a indicação do relator", disse Temer ao ser questionado por jornalistas sobre a nomeação do novo ministro.

O regimento do Supremo prevê que a ministra Cármen Lúcia, presidente da Corte, pode decidir se os processos da Operação Lava Jato - que eram relatados por Teori - serão distribuídos para outro integrantes do STF ou se serão herdados pelo novo ministro, que deverá ser nomeado pelo presidente Michel Temer. Para chegar à Corte, o substituto deverá passar por sabatina na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado e ter o nome aprovado pelo plenário da Casa.

Temer chegou ao velório de Teori, em Porto Alegre, tecendo elogios ao magistrado. “É um homem de bem. O que o Brasil precisa cada vez mais é de homens com a competência pessoal moral e profissional do ministro Teori. Que Deus conserve na memória dos brasileiros como um exemplo a ser seguido”, disse.


Últimas de Brasil