Jucá defende Moreira e minimiza citação na Lava Lato: 'Todo mundo vai ser'

Líder do governo no Senado apoiou decisão de Temer nomear Moreira Franco na Secretaria-Geral

Por O Dia

Brasília - O líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR), minimizou as críticas, inclusive da base aliada, de que a nomeação de Moreira Franco para o cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência por meio de medida provisória tem por objetivo garantir a ele foro privilegiado.

Moreira foi citado em delação premiada do ex-executivo da Odebrecht Cláudio Mello Filho. A MP editada nesta sexta-feira, 3, dá a prerrogativa a Moreira Franco de responder a eventuais investigações criminais somente perante o Supremo Tribunal Federal (STF). "Mencionado na Lava Jato, todo mundo vai ser de alguma forma, ainda mais quando querem dar essa visão geral de que toda doação de campanha é irregularidade", rebateu Jucá.

"Não vejo problema para o Moreira, Padilha nem comigo", completou ele, referindo-se também ao seu caso e ao de ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, também citados em delações da Odebrecht. O peemedebista disse que Moreira já vinha atuando como um "ministro" no governo Temer e que, com a MP, ele terá uma série de novas atribuições, como cuidar da comunicação do Executivo.

Líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR) defendeu a nomeação de Moreira Franco como ministroAntonio Cruz/ Agência Brasil

Ele defendeu novamente a divulgação da íntegra do conteúdo das delações dos 77 dos executivos da Odebrecht e reafirmou que vai buscar a aprovação de um projeto apresentado por ele que prevê a liberação de todas as informações de apurações em curso, inclusive delações.

Últimas de Brasil