Por rafael.nascimento
Publicado 02/02/2017 10:49 | Atualizado 03/02/2017 23:34

São Paulo - Morreu, nesta sexta-feira, aos 66 anos, a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico. Dona Marisa estava internada desde o último dia 24 de janeiro, no Hospital Sírio-Libanês, no Centro de São Paulo. Ontem, os médicos anunciaram a morte cerebral de Dona Marisa. A família autorizou a doação dos órgãos.

Marisa Letícia teve os primeiros sintomas do AVC hemorrágico na tarde do dia 24, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Na ocasião a ex-primeira-dama foi levada para um hospital da região e depois encaminhada ao Sírio-Libanês. No dia da internação, Marisa chegou à unidade médica consciente, passou por uma cirurgia para tentar estancar um sangramento e foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua mulher%2C Marisa LetíciaRicardo Stuckert/Instituto Lula

Segundo o médico cardiologista Roberto Kalil Filho, chefe da equipe médica que atendeu a ex-primeira-dama, Marisa teve um aneurisma, uma veia cerebral com malformação, diagnosticada há cerca de 10 anos. Na época não havia indicação cirúrgica, apenas acompanhamento clinico. De acordo com Kalil, o aneurisma se rompeu por 'provável crise hipertensiva'.

No começo desta semana, Marisa teve um aumento da pressão cerebral e também do edema cerebral que ela tem em decorrência do derrame hemorrágico. Nesta quarta-feira, Kalil Filho, disse que o quadro da ex-primeira-dama era "irreversível". A equipe que tratava da mulher de Lula chegou a se animar na tarde do mesmo dia com alguns sinais de melhora, mas a situação de Marisa se deteriorou.

Na segunda-feira, 30 de janeiro, um exame detectou a ocorrência de uma "trombose venosa profunda dos membros inferiores", caracterizada por um quadro de edemas e dor nas pernas, coxas e região pélvica. Médicos afirmaram, na ocasião, que essa era uma intercorrência inerente ao tratamento.

O ex-presidente Lula ainda não comentou a morte da esposa. O Instituto Lula informou que o velório será realizado das 9h às 15h no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, São Paulo. Em seguida, haverá uma cerimônia de cremação reservada à família, no Cemitério Jardim da Colina.

A história de Marisa Letícia e Lula

O ex-presidente Lula e a ex-primeira-dama casaram em 1974 e tiveram três filhos. Nascida em São Bernardo do Campo, Marisa esteve ao lado de Lula nas greves de metalúrgicos no ABC Paulista na década de 80 e organizou passeatas quando os líderes do movimento foram presos. Dona Marisa teve participação importante na história do Partido dos Trabalhadores (PT). Foi ela quem confeccionou a primeira bandeira do partido, vermelha com uma estrela branca, usando pedaços de tecido que guardava em casa. Lula sempre destacou que a "galega", como era carinhosamente chamada, começou a trabalhar aos nove anos como pagem.

Marisa Letícia participou de todas as campanhas eleitorais de Lula — em comícios, debates e em caminhadas — e sempre desempenhou um papel discreto como primeira dama.

Em 2011, Marisa esteve ao lado do seu marido em um dos momentos mais dificeis da vida dele: o tratamento contra um câncer na laringe. Dona Marisa era ré em uma ação penal, junto com Lula, na Operação Lava Jato pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em contratos firmados entre a Petrobras e a Odebrecht.

Pezão lamenta morte de Marisa

Em nota divulgada nesta sexta-feira, o governador do Rio lamentou a morte de dona Marisa. "É com grande pesar que recebo a notícia da morte da ex-primeira dama Marisa Letícia. Militante política, ela desempenhou um papel fundamental na criação do Partido dos Trabalhadores. Dona Marisa, companheira de Lula por mais de 40 anos, foi uma apoiadora incondicional durante os oito anos de governo do ex-presidente.
Meus mais sinceros sentimentos à família, em especial ao Lula", disse.

Você pode gostar