Coluna Esplanada: Eike tem fundo de investimento em Las Vegas

Há suspeitas de que seja uma 'poupança' do empresário e de um pool de políticos que o ajudaram em financiamentos do BNDES

Por O Dia

Rio - Os problemas do ex-bilionário Eike Batista, preso no complexo de Bangu no Rio de Janeiro, só começam – e vão resvalar no seleto grupo político que ele ajudou.

O MP Federal e a Polícia Federal já têm informações sobre um fundo de investimentos com iniciais GV em Nevada, estado americano de Las Vegas, a meca da lavagem de dinheiro.

Há suspeitas de que seja uma ‘poupança’ do empresário e de um pool de políticos – de todas as esferas – que o ajudaram em financiamentos no BNDES.

Vegas é uma festa

O fundo teria hoje algo em torno de US$ 300 milhões – ou R$ 1 bilhão.

Sorria, sorria

Rumo à sabatina no Senado e à cadeira de Teori Zavascki, Alexandre de Moraes contratou uma assessoria de imagem. Na praça, isso não sai por menos de R$ 50 mil.

Fim do mundo

Uma amostra do caos moral do País. Subcomandante da PM de Mesquita (RJ) apanhou e foi impedido por mulheres de entrar no Batalhão aos gritos de ‘safado’ e ‘vagabundo’.

10 anos depois..

Em março de 2007 os quatro governadores do Sudeste eleitos se reuniram no Palácio das Laranjeiras, no Rio, para discutir ação conjunta no combate à violência e tráfico de armas. Paulo Hartung, do Espírito Santo, foi o porta-voz da falácia. Aécio Neves (MG), José Serra (SP) e Sérgio Cabral (RJ) os expectadores. Juntos com o povo.

Te cuida, Moraes

Crítica contumaz do governo de Michel Temer, a senadora Ana Amélia (PP-RS) alerta a Alexandre Moraes sobre o frente-a- frente no Senado para o STF. “Na sabatina, como ocorreu com o ministro Edson Fachin, terão muitas tentativas de pegadinhas”

Guerra e Paz 1

A indicação do presidente da CCJ no Senado deixou sequelas no PMDB. Foi tensa a reunião que chancelou Edison Lobão (MA). O concorrente, Raimundo Lira (PB), a quem havia sido prometido o cargo, disparou: “Prevaleceu a interferência externa”, em alusão ao Planalto e ao ex-presidente do Senado, José Sarney (MA).

Guerra e Paz 2

À Coluna, o senador Lobão prega o discurso conciliador: “Raimundo Lira é meu amigo. Não vai ficar nenhum arranhão dessa disputa. Se ele fosse o indicado, teria o meu voto.”

Alfinetada

Derrotada na disputa pelo comando da CCJ, a senadora Marta Suplicy teve um consolo. Ganhou a Comissão de Assuntos Sociais e elogia Renan Calheiros: “Ele é habilidoso”.

Número mágico

O rombo do Banco Panamericano foi calculado em pouco mais R$ 700 milhões, mas depois da auditoria chegou a R$ 4,3 bilhões. O detalhe é que, no relatório final de posse da Coluna, está escrito que a auditoria não seguiu padrões internacionais.

Troco

Na reunião deliberativa do Fundo Garantidor de Créditos, os diretores de BB, Caixa e Bradesco apoiaram a ajuda ao Pan, menos o Itaú. A coincidência que poucos meses depois o Itaú tomou multa milionária da Receita Federal.

Sustinho

O susto de Aécio Neves no pouso de emergência do jatinho da Líder no aeroporto de Cumbica (SP) na quinta à noite não chegou perto do que passou a banda Skank anos atrás, em king air fretado da empresa. A porta do avião abriu em pleno voo.

Alta tensão

O clima anda tenso na Procuradoria-Geral da República após a transmissão ao vivo da reunião do chefe de gabinete, Eduardo Pellela, com parlamentares da oposição. Rodrigo Janot estava em cerimônia de recepção do presidente argentino Mauricio Macri no STF e delegou o encontro ao assessor. Pellela não sabia que estava sendo gravado.

Pente-fino

O desconforto foi tamanho que, a partir de agora, haverá controle rigoroso no uso de celulares e equipamentos de filmagem em reuniões com o PGR ou assessores.

Ponto Final

Paga-se bem uma foto do tamanho do sorriso de Anthony Garotinho, que de casa vê seus desafetos Eduardo Cunha e Sérgio Cabral na cadeia.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil