Padrasto e cúmplice são presos acusados de estuprar enteada de 12 anos

Pai desconfiou após ouvir um áudio em que suspeito pede fotos da menina. Delegado diz que detido se preparava para matar a vítima e mãe

Por O Dia

Goiás - O vendedor de carros Weber Aparecido, de 45 anos, foi preso acusado de estuprar a enteada de 12 anos em Caldas Novas, em Goiás. Amigo do acusado, o personal trainer Wellington Soros, de 27, também foi preso, sob suspeita de envolvimento no caso. Mensagens de áudio encontradas no celular da vítima comprovam o envolvimento do padrasto.

De acordo com as investigações, o padrasto é suspeito de abusos iniciados há dois anos. Já o envolvimento do personal trainer surgiu a partir de uma cena insólita - teria presenciado um dos abusos. Em troca do silêncio, também violentou a garota.

O caso veio à tona quando a menina foi visitar seu pai biológico, em janeiro, na cidade de Nova Crixás. "Na caixa de mensagem, Weber Aparecido pediu fotos nuas da menina", disse o delegado Fernando Barbosa Martins, da Delegacia Regional de Caldas Novas.

"Cadê você, menina, aparece; eu quero quatro fotos, manda logo que estou com pressa", revela parte do áudio.

Ao exigir explicações, o pai da garota foi ameaçado de morte por Weber, que também ameaçou a menina e a mãe, exigindo que as duas voltassem para Caldas Novas. "Nós o prendemos quando se preparava para matar as duas", disse o delegado.

O personal trainer foi indiciado por crime de aliciamento e estupro de vulnerável. O padrasto deve ser enquadrado em crime de estupro de vulnerável, aliciamento de menor e mediação para lascívia de outrem.

Últimas de Brasil