Testemunha diz que viu garoto ser espancado por segurança do Habib's

A Polícia Civil investiga se o garoto morreu após ser agredido na noite de domingo

Por O Dia

São Paulo - Uma catadora de material reciclável afirma que viu o adolescente João Victor Souza de Carvalho, de 13 anos, ser agredido por "um homem forte, gordo, moreno com uniforme do Habib's" e desmaiar em seguida. A Polícia Civil investiga se o garoto morreu após ser agredido na noite de domingo, por seguranças da lanchonete, localizada na Avenida Itaberaba, na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo. Ela afirmou que o homem segurou o garoto pela gola da camisa e deu um soco na cabeça dele.

Silvia Helena Troti, de 59 anos, prestou depoimento no 28º DP (Freguesia do Ó), que investiga o caso. Ela também contou que presenciou um outro funcionário do Habib's "alto e magro" puxar o adolescente pelos braços junto com o primeiro agressor e, juntos, seguiram de volta para o Habib's. O menino desmaiou durante o trajeto e, segundo ela, espumava pela boca. Nesse momento, João Victor já estava desacordado e, só depois, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar apareceram.

Família do garoto acusa seguranças de agressãoReprodução/Internet

Silvia também afirmou que se ofereceu para prestar depoimento na delegacia no dia dos fatos. Porém, segundo ela, os policiais militares que atenderam a ocorrência não quiseram ouvi-la, por achar que ela era "nóia". Hoje, durante o depoimento, ela foi acompanhada pelo advogado Ariel de Castro Alves, do Conselho Estadual de Defesa da Pessoa Humana (Condepe), que vai acompanhar as investigações. "Se os PMs estivessem dado crédito à testemunha, os autores desse crime bárbaro poderiam estar presos", afirmou Castro. Os pais de João Victor também prestaram depoimento na delegacia.

O caso

João Victor morreu na noite de domingo depois de fugir de seguranças do Habib's, da unidade localizada na Avenida Itaberaba. Segundo a família dele, o garoto costumava pedir esmolas aos clientes, mesmo contra a vontade dos pais.

Na versão do gerente e do supervisor da unidade, o garoto estava "importunando os clientes, inclusive com um pedaço de madeira". "O adolescente ameaçava quebrar o vidro da loja e chegou a jogar pedras contra carros e um dos funcionários". Ainda segundo os representantes, um gerente e um supervisor, quando os funcionários foram repreendê-lo, o garoto "saiu correndo e, neste instante, teve um mal súbito". O menino caiu no meio da rua, de acordo com esta versão. Os seguranças envolvidos não foram ouvidos pelo delegado Julio Siqueira Gomes, do 13º DP (Casa Verde), onde o caso foi registrado.

Em nota, o Habib's informou que lamenta o caso e que vai colaborar com as investigações.

Últimas de Brasil