Esplanada: Temer avalia que situação de Padilha é 'muito delicada'

Diante da repercussão negativa, ministro-chefe da Casa Civl deve estender a licença-saúde para além do dia 6, para aguardar uma posição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot

Por O Dia

Rio - O presidente Michel Temer avalia com interlocutores próximos como “muito delicada” a situação de Eliseu Padilha, após seu ex-assessor especial José Yunes confessar que recebeu “pacote” em 2014 do doleiro Lúcio Funaro a pedido do hoje ministro-chefe da Casa Civil.

Diante da repercussão negativa, Padilha deve estender a licença-saúde para além do dia 6, para aguardar uma posição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Temer, porém, deve recomendar ao ministro que apresente uma carta-renúncia.

Na mira

A denúncia contra o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, será discutida na próxima reunião da Comissão de Ética da Presidência, dia 27 de março.

Cash

Michel Temer e Horácio Cartes, colega do Paraguai, devem explicar melhor este item da ultima reunião: Constituição de ‘Comissão Binacional de Contas’ para a Itaipu.

Governo oculto

O PSDB está entrando forte no Governo do PMDB. O ministro Imbassahy já mapeou cargos do primeiro e segundo escalões na Esplanada onde poderá indicar apadrinhados.

Juiz soltou

Algo curioso e questionável acontece no judiciário paulistano. O juiz federal João Batista Gonçalves, da 6.ª Vara em São Paulo, em audiência de custódia, fixou fiança de R$ 200 mil para libertar o auditor aposentado da Receita Aramis da Graça. Este tipo de audiência, pela praxe, não pode invadir a competência do juiz do caso, que é outro.

Famoso Aramis

O famoso Aramis da Graça, conhecido na atuação do Fisco em São Paulo por décadas, foi condenado a 16 anos de prisão em regime fechado pela Polícia Federal na Operação Máscara de Ferro, por facilitação de contrabando do sistema Importa Fácil dos Correios entre 2009 e 2011. Foi preso há duas semanas, e já se livrou.

Escolta já

A Abraji pediu ao secretário de Segurança Pública de Goiás, o vice-governador José Eliton, escolta para o jornalista Yago Sales. É ameaçado por Daniel Moraes, a quem denunciou por agressão de internos de uma clínica em Goiânia. Moraes está foragido.

Aposentômetro

Centrais sindicais criaram o “Aposentômetro” (https://aposentometro.org.br/), simulador que permite descobrir com qual idade se aposentará caso seja aprovada a reforma.

Dois lados

Enquanto o Governo aperta o trabalhador, grandes empresas devem ao INSS R$ 3 bilhões, lembra Carlos Alberto, da Comissão de Direito Previdenciário da OAB-SP.

Rodem a roleta!

Em dezembro, o plenário do Senado decidiu remeter o projeto de lei que legaliza os jogos no Brasil à CCJ. O texto permanece à espera de indicação do relator. A volta dos bingos e cassinos pode render até R$ 20 bi/ano em impostos.

Tensão

O federal Jerônimo Goergen (PP-RS) está preocupado com uma decisão do Governo em tempos de crise. “Não bastasse o elevado nível de desemprego já existente, acima de 12 milhões de pessoas, a decisão do Governo de redução dos índices de Conteúdo Local para petróleo e gás acrescentará mais de 1 milhão de desempregados”.

Provocação

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) recebeu “com risos” a nomeação de Osmar Serraglio (PMDB) para o comando do Ministério da Justiça: “Fiquei estupefato. Serraglio faz parte do grupo de Eduardo Cunha. O nome dele não destoa nem um pouco do que está ocorrendo no Governo de Michel Temer”.

Memória

“Ele ajudou a impulsionar um momento novo no Brasil levando uma grande empresa nacional a fazer importantes operações fora do país”, do hoje ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), ao homenagear, em 2012, o então vice-presidente de Relações Políticas e Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho.

Homenagem

O procurador do Estado de Goiás, Marcello Terto, vai receber a homenagem máxima da advocacia pública de Minas Gerais dia 7. Terto é o presidente da Anape, entidade que representa os procuradores dos 26 Estados e do DF.

Ponto Final

Os carros alegóricos da Sapucaí lembram aquele famoso filme: ‘Pague para entrar, reze para sair’

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil