TSE ordena que citações a Aécio sejam tarjadas e internautas debocham da decisão

Ex-presidente da Odebrecht citou doação à campanha do tucano em 2014 na ação contra a chapa Dilma-Temer

Por O Dia

Brasília - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou, na tarde desta segunda-feira, que os trechos do depoimento do ex-presidente da Odebrecht, Benedicto Júnior, referente à chapa do então candidato Aécio Neves (PSDB) à Presidência, seja "tarjado" nas transcrições que constarão nos autos da ação sobre a chapa de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB). Em sua fala, Benedicto afirmou que houve doação de R$ 9 milhões à candidatura do senador tucano.

A decisão é do ministro Herman Benjamin, após pedido feito pelo PSDB, que alega que as menções foram "exploração política patrocinada junto à imprensa, com a finalidade exclusiva de causar danos à imagem do PSDB, e ao seu presidente, Aécio Neves" De acordo com o ministro, o vazamento do depoimento foi "lamentável".

Mas os internautas não reagiram muito bem. No Twitter, usuários lembraram de antigas citações ao senador tucano em delações vazadas. Também brincaram com a camisa do ex-jogador Ronaldo que, na época da campanha para o impeachment de Dilma Rousseff, afirmava que "a culpa não é minha, eu votei no Aécio".

Ronaldo com a 'nova versão' da camisa 'Eu não tenho culpa%2C eu votei no Aécio'Reprodução/Twitter


Últimas de Brasil