Para presidente do Senado, Reforma da Previdência fará país crescer

Segundo Eunício Oliveira (PMDB-CE), senadores têm o compromisso de fazer as reformas que o Brasil precisa

Por O Dia

Rio - O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse nesta quinta-feira que o papel do Congresso Nacional é aprovar as reformas da Previdência e trabalhista propostas pelo governo para ajudar o Brasil a crescer. A declaração foi dada depois da primeira reunião da bancada do PMDB do Senado com o presidente Michel Temer, realizada ontem à noite, em Brasília.

Eunício afirmou que Temer conversou sobre as reformas com os parlamentares, chamando a atenção para a necessidade de manter a reação da economia e retomar a geração de empregos. “Foi neste sentido que conversamos um pouco sobre as reformas, sobre o papel que temos no Congresso Nacional de ajudar o Brasil a incluir esses 13 milhões de brasileiros que estão fora do mercado de trabalho”, declarou o presidente do Senado.

A declaração de Eunício Oliveira foi dada na quarta-feira à noite%2C em Brasília%2C após reunião do PMDB com Temer Antonio Cruz / Agência Brasil

Jantar reuniu parlamentares com Temer

Eunício relatou que a conversa ocorreu em um jantar de confraternização em que Temer expressou seu desejo de se aproximar da bancada e do parlamento. O líder do partido no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que tem se manifestado de forma contrária ao encaminhamento dado pelo governo sobre a tramitação das reformas da Previdência e trabalhista, também participou da reunião.

Seguindo o mesmo tom da presidência da Câmara, Eunício defendeu as reformas e reforçou seu compromisso no esforço de aprovação das propostas no Senado. “Obviamente que há um interesse do presidente [Michel Temer] que, ao chegar aqui ao Senado, a reforma da Previdência tenha velocidade. E nós aqui no Senado temos um compromisso com o Brasil de fazer as reformas que o Brasil precisa. Não será uma reforma para tirar direitos de trabalhadores”, finalizou. 

Justiça proíbe propaganda sobre a Reforma

A juíza Marciane Bonzanini, da 1ª Vara Federal de Porto Alegre, determinou a suspensão das propagandas em favor das mudanças nas regras de aposentadorias do INSS. Deste modo, o governo terá que parar de veicular publicidades em televisão, rádios, jornais e revistas, internet e outdoors sobre a Reforma da Previdência. 

Para a magistrada, houve “uso inadequado de recursos públicos”. A União foi intimada com urgência a cumprir de imediato a liminar e deve se manifestar em 72 horas sob pena de multa diária de R$100 mil. A sentença tem caráter liminar e, segundo a Agência Estadão Conteúdo, a Advocacia-Geral da União recorrerá. 

Últimas de Brasil