Polícia Federal faz operação contra fraudes de fiscalização no setor alimentício

Grupos de empresários seriam os maiores beneficiados do esquema

Por O Dia

Rio - Mais de mil agentes da Polícia Federal (PF) cumprem desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira 309 mandados judiciais, sendo 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão na Operação Carne Fraca, que investiga uma organização criminosa liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio.

Segundo a PF, servidores das superintendências regioanais do Ministério da Pesca e Agricultura nos estados do Paraná, Minas Gerais e Goiás “atuavam diretamente para proteger grupos de empresários em detrimento do interesse público”. Os fiscais se utilizavam dos cargos para, mediante propinas, facilitar a produção de alimentos adulterados por meio de emissão de certificados sanitários sem que a verificação da qualidade do produto fosse feita. 


O nome da operação faz referência à expressão popular  " a carne é fraca" a fim de demostrar a fragilidade moral dos agentes públicos envolvidos nas fraudes e que "deveriam zelar e ficalizar pela qualidade dos alimentos fornecidos à sociadade", diz a nota da PF. 



Últimas de Brasil