Esplanada: Presidente dos Correios anunciará medida polêmica para salvar estatal

Programa de Dispensa Motivada vai demitir servidores para a empresa sobreviver

Por O Dia

Brasília - O presidente dos Correios, Guilherme Campos, vai anunciar em breve a mais polêmica decisão da história da estatal, diante da séria crise pela qual passa: o programa de Dispensa Motivada na estatal – na qual terá de demitir servidores para a empresa sobreviver.

O PDI – Programa de Dispensa Involuntária, no qual 5,5 mil funcionários deixaram a empresa, não foi suficiente para parar a sangria. A direção dos Correios prepara sua defesa jurídica baseada no artigo 173, Parágrafo 1, Inciso II da Constituição, que permite adotar em empresa pública o regime jurídico de empresas privadas.

E há brecha legal também para a Dispensa Motivada no Artigo 165 da CLT, na qual a estatal poderá alegar o grave quadro financeiro e econômico.

Pedalou

Um integrante do Palácio revela que, na última década, mais de R$ 6 bilhões foram retirados dos Correios para ‘pagar dividendos’ – ou seja, para até fazer superávit.

Sem férias

Os funcionários foram avisados também da suspensão das férias. “Isso terá impacto de R$ 1 bilhão (a menos na conta) em 12 meses”, diz à Coluna o presidente dos Correios.

Inevitável

O clima é de protesto e tensão na estatal. Sindicatos das categorias já ameaçam paralisação. Campos alerta que as decisões são inevitáveis para a empresa sobreviver.

Tentativa

O Governo não pretende privatizar os Correios. “A missão que o presidente Temer e o ministro Kassab (Comunicações) deram é a recuperação da empresa”, diz Campos.

Sobe e desce...

Mais de 30 jatinhos que decolaram de várias capitais aterrissaram no aeroporto de Brasília ontem durante o dia. Trouxeram investidores internacionais, CEOs de multinacionais, governadores, industriais, banqueiros para o beija-mão na posse do ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal.

...de quem manda

Uma prova de qual dos Poderes manda no País há algum tempo: A fila de cumprimentos na posse de Dilma Rousseff durou 1h30; a de Michel Temer, meia hora. A de Moraes no STF se estendeu por mais de 3 horas.

Paim com PTB?

O senador Paulo Paim (PT-RS) foi a seminário de Roberto Jefferson na sede do PTB e caiu de elogios ao ex-mensaleiro. Pediu apoio do partido para a CPI da Previdência

Batalha ideológica

Dia 29 de abril será fundado, em assembléia, a Associação dos Conservadores do Brasil. Lançaram o site www.cons.net.br

Carne na brasa

O lobby pela credibilidade da carne brasileira, interna e externamente, é tamanho que o governador do Mato Grosso – um dos Estados que mais exporta e vende aqui – decidiu fazer um almoço na Fogo de Chão de Brasília dia 5 de abril. Convidará empresários, políticos, investidores para provar da carne nacional. Chamará o Marfrig para apoio.

Compra legal

O Movimento em Defesa do Mercado Legal Brasileiro, coalizão formada por mais de 70 entidades representativas de setores afetados pela ilegalidade, vai firmar parceria técnica com o Governo para o Plano Nacional de Fronteiras, “com especial atenção às ações econômico-sociais e de fiscalização da fronteira entre Brasil e Paraguai”.

GiGi poderoso

Há um tititi nos bastidores da política e da toga de que o presidente do TSE, Gilmar Mendes, quer se tornar presidente do Brasil. Com chapa de Michel Temer sub judice e presidente da Câmara suspeito na Lava Jato, cenário para isso há.

Pegou geral

Procuradores e promotores do Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo estão aos risos. Gente graúda que nunca foi investigada e sequer é alvo está aparecendo para propor delação premiada – e não só no esquema da Lava Jato.

Ponto Final

A Itaipu Binacional dará posse aos novos diretores – da Era Temer – na próxima

segunda-feira, dia 27, no Museu Oscar Niemeyer em Curitiba. Só ficou um petista.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil