Esplanada: Temer e Serraglio sabem de mais 'alvos sensíveis' na Carne Fraca

Termo é usado pela Polícia Federal para cravar que políticos com mandatos foram flagrados em suspeita de tráfico de influência

Por O Dia

Brasília - O presidente Michel Temer e o ministro da Justiça, Osmar Serraglio – ele próprio flagrado, como deputado, num grampo com dono de frigorífico – souberam que há mais ‘alvos sensíveis’ na Operação Carne Fraca, cujos áudios não foram revelados, mas estão sendo investigados.

‘Alvos sensíveis’ é o termo usado pela Polícia Federal para cravar que políticos com mandatos foram flagrados em suspeita de tráfico de influência.

Janot 3.0?

Há mais congressistas ligados à bancada ruralista que apareceram na investigação. E não são poucos. Neste caso, se considerar que há crime, a PF envia ao PGR.

Volta pra ‘casa’

O policial federal Danilo Santos, preso na operação Turing em São Luís (MA) por vazar informações a blogueiros, foi transferido para Brasília e está detido na superintendência.

Ex-CDF

Danilo tocava reestruturação do presídio de Pedrinhas como secretário adjunto. A prisão surpreendeu colegas. Ele foi o destaque de sua turma quando ingressou na PF.

Barril de pólvora

Há um alvoroço nos corredores da Petrobras que envolve um imbróglio jurídico e pode acender o pavio do barril de pólvora na empresa. Envolve interpretações das leis 6.404 (das sociedades anônimas) e 9.478 (das petroleiras).

Regra é regra

Com o prejuízo acumulado de mais de três anos, há um movimento para fazer valer a regra de que os acionistas minoritários (com as ações preferenciais) passem a controlar a empresa, com direito a voto, em detrimento dos acionistas das ações ordinárias.

Ou seja

O ‘povão’ e grandes empresários que são investidores com ações preferenciais passariam a mandar na petroleira em lugar do Governo. A conferir.

Sobrevivência

Os Correios ainda estudam quantos funcionários concursados e de quais setores poderão ser demitidos – como antecipamos – mas são milhares em todo o País.

É do governo

O presidente dos Correios, Guilherme Campos, rechaça a quem propõe a privatização: “É uma empresa muito querida pelos brasileiros; a ordem é reestruturar”.

Adicional...

A Federação Nacional dos Policiais Federais e a Federação dos Policiais Rodoviários Federais comemoram uma decisão ainda não divulgada pelo Ministério do Planejamento. Vai sair Portaria para regulamentar o pagamento, pelo Governo, de indenização por trabalho na fronteira. Há três anos os policiais e delegados requerem.

...e lembrete

Para comemorar – em parte – mas também protestar pelo direito ao recebimento e ao pagamento do retroativo, os policiais farão manifestação na ponte da Amizade dia 31. O aditivo ao salário é de R$ 91 por dia trabalhado em postos da fronteira.

Metamorfose

Após as mais de 160 emendas, o relator da reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS- BA), passou a admitir nos bastidores que o texto enviado pelo Palácio terá “muitas modificações”. Vem aí a reforma Frankenstein, como citamos aqui.

Prestígio 1

A ex-ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira está em Washington (EUA) a convite do Banco Mundial falando sobre governança da terra e pobreza no ‘Land and Poverty Conference 2017’. Foi levar a experiência do Cadastro Ambiental Rural.

Prestígio 2

Dono de um bom quinhão de votos no Rio, e a despeito da situação judicial do pai, Marco Antonio Cabral tem sido prestigiado pelo PMDB em Brasília. O deputado será titular das Comissões de Esporte e Minas & Energia, e suplente na de Finanças e na Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa – bandeira que o pai, Sérgio, sempre defendeu.

Coluna de Leandro Mazzini 

Últimas de Brasil