Esplanada: Filha de senador é beneficiária de depósito milionário da Odebrecht

Relato está na delação de um dos executivos da empreiteira, entregue à Justiça; ela deve virar ré

Por O Dia

Brasília - A filha de importante senador aparece como beneficiária de uma conta na qual foram depositados alguns milhões de reais pela Odebrecht. O relato está na delação de um dos executivos da empreiteira, entregue à Justiça.

Segundo o diretor-delator, a Odebrecht recebeu o pedido de um cacique do partido para o repasse e, só depois, ao pesquisar num banco no exterior de quem era a numeração, descobriu a ligação parental.

Duas instâncias

Pai e filha estão enrolados agora com a Justiça. Ele teve o nome remetido por Rodrigo Janot ao STF. E ela deve virar ré na Justiça comum.

Vem bomba

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, deve dar publicidade na segunda-feira à lista da Propinobrecht.

Voltou

Um funcionário do BB demitido por Dispensa Motivada – a que os Correios querem fazer – conseguiu reverter decisão no TST há dias. O relator foi Hugo Scheuermann.

Sobre PF e MP

“Temos um ambiente no Brasil de disputa institucional. Estão brigando por espaço. E não é só a PF com o MP”, diz o presidente da Associação dos Delegados de PF, Carlos Eduardo Sobral. Lembra que na busca por consolidação das carreiras e autonomia, a Polícia Legislativa, a PM, o Ministério Público.. todos querem poder de inquérito.

Cabo de guerra

Sobral complementa: “Há um cabo de guerra ruim para todos nós”. O delegado diz que, neste contexto, há uma disputa entre PF e MP. “O MP quer retirar da PF o poder de inquérito (Há PECs dos delegados e procuradores em tramitação no Congresso). Querem subordinar a Polícia ao MP”, lamenta Sobral. E continua a batalha.

Encontrão

Mais de 400 delegados se reuniram de segunda a quinta-feira para o VII Congresso Nacional da classe, em Florianópolis, onde debateram temas variados como combate a corrupção e roubo de cargas, ação nas fronteiras e fortalecimento da categoria.

Correio$

Para se ter uma ideia da sangria dos Correios: a estatal só deu lucro operacional em 2007, 2008 e 2010 nos últimos dez anos. Houve retirada de dinheiro para outros fins.

Bancada do coldre

Delegado federal licenciado e deputado federal, Fernando Francischini conclamou os colegas de polícia a ingressarem na carreira política: “Devemos lançar candidatos a deputados federais e ao Senado. Hoje somos dois ou três lá. Vamos tentar nos organizar com planos como eles (outras categorias) vêm fazendo senão seremos minúsculos”.

Abra a gaveta

Enquanto propala que “magistrados são injustamente acusados”, o corregedor de Justiça, ministro João Noronha, mantém na gaveta do CNJ Pedido de Providências feito pelo MP sobre favorecimento em transferência a um juiz filho de desembargador.

Na mira

A oposição no Senado se articula para que o primeiro depoente da CPI da Previdência seja o secretário Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano. Sindicatos o denunciaram à Comissão de Ética Pública da Presidência e pediram seu afastamento da BrasilPrev.

Imperícia

A Associação Nacional dos Peritos Criminais Federal engrossa o coro contra o modus operandi da operação da PF que colocou em xeque a qualidade da carne. A entidade lamenta que a experiência dos peritos não tenha sido “devidamente empregada”.

Cadeia em risco

A crise no mercado de carne terá ressonância nos mercados de soja e milho. Entidades que representam o setor – fornecedor do alimento consumido por bovinos e suínos – estão temerosas e torcem para que o Governo brasileiro reverta o quadro.

Defesa

A 3ª turma recursal do juizado especial do TJDFT rejeitou por unanimidade embargos declaratórios da defesa de Lula da Silva contra o editor da Coluna. O MP e o juiz entenderam que não houve ofensa em nota sobre a doença que o acometeu. O jornalista foi defendido pelo advogado brasiliense Paulo Fernando Melo e por Alexandre Fidalgo.

Ponto Final

“Temos que abrir essa ‘caixa preta’. O argumento de que a Previdência é deficitária é uma ‘história mal contada”.

Do senador Paulo Paim (PT-RS), após protocolar o pedido de abertura da CPI da Previdência da qual deve ser presidente.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil