Por thiago.antunes

Paraguai - Um brasileiro foi preso na manhã desta quinta-feirapela Polícia Nacional do Paraguai no condomínio Country Club, em Hernandárias, próximo a Ciudad del Este, sob suspeita de ter participado do ataque à empresa de valores Prosegur na segunda-feira.

A polícia não divulgou o nome do preso, mas disse que ele seria ligado ao PCC. O comisário Abel Cañete disse ao jornal ABC Color que a organização teria 300 homens operando na região da fronteira. A operação também resultou na apreensão de um drone, que tinha imagens aéreas da região onde está localizada a empresa Prosegur, e cinco veículos, alguns blindados, segundo o porta-voz da Polícia Nacional de Ciudad del Este, Augusto Lima.

Nesta quinta, sete dos 15 suspeitos de envolvimento no assalto que estavam presos foram liberados por falta de provas — cinco deles por ordem da Justiça Estadual do Paraná e outros dois, por determinação da Justiça Federal. A polícia estima que cerca de 50 pessoas participaram do assalto e ainda mantém buscas no Brasil e no Paraguai.

O chefe da Polícia Federal em Foz do Iguaçu, Fabiano Bordignon, disse que a casa usada pelo grupo, em Ciudad de Este, dará muitas provas para a investigação. A Prosegur informou oficialmente ao Ministério Público do Paraguai o valor roubado da empresa: US$ 11.720.255 (R$ 37 mil). 

Você pode gostar