Esplanada: Planalto inicia articulação sigilosa para trocar comando do Exército

O general Eduardo Villas Boas deve sair em breve para tratar da saúde

Por O Dia

Brasília - O Palácio do Planalto iniciou uma articulação sigilosa para a troca – com data ainda a determinar – do comando do Exército. O general Eduardo Villas Boas deve sair em breve para tratar da saúde.

Articula-se no Governo a promoção do general Sérgio Westphalen Etchegoyen, atual chefe do Gabinete de Segurança Institucional, para o Comando da Força. Ele é benquisto no Exército e já comandou o Estado Maior.

Garimpo

O desafio do Palácio é encontrar sucessor para Etchegoyen, considerado linha dura mas bom articulador. Ele restabeleceu o GSI e reformou a Abin, antes controlada pelo PT.

Mensageiro do caos

Em entrevista recente, o general Villas Boas disse que emissários de Dilma tentaram apoio do Exército para “estado de defesa”. Botou para correr o senador Jorge Viana.

Agenda 2030

Demóstenes Torres, cassado no Senado e sem direitos políticos até 2027, prepara seu retorno. Quer se candidatar ao Senado pelo PTB de Goiás. Em 2030.

Solta o verbo

Quadro histórico do PDT, o ex-ministro do Trabalho Manoel Dias solta o verbo contra os aliados (de vários partidos) que votaram a favor da reforma trabalhista: “É inadmissível um deputado do PDT votar pelo fim da categoria que é a carta de alfarrábios dos trabalhadores”. Mas refere-se em especial ao deputado Cadoca (PDT-PE), que será expulso da legenda por votar a favor do projeto de lei.

Taxiando

Depois de decretarem estado de greve, aeronautas vão realizar mobilizações no Congresso nos próximos dois dias para pressionar os deputados a mudarem o texto da reforma Trabalhista, mesmo que por emenda em plenário.

Rebelião

A bancada gaúcha está em rebelião contra os ministros palacianos Antonio Imbassahy e Eliseu Padilha. Souberam por ofício que as emendas de bancada foram contingenciadas para as secretarias de Agricultura e Segurança Pública do Governo do RS. 

Tesourada

A verba para a Agricultura caiu de R$ 100 milhões para R$ 52,7 milhões; a de Segurança viu minguar para R$ 65,8 milhões a previsão de R$ 124 milhões.

PSD energético

O PSD do Paraná, sob tutela de Eduardo Sciarra, deve indicar apadrinhado para a coordenação do Parque Tecnológico de Itaipu no lugar de Juan Carlos Sotuyo.

Freio na greve

O Correios conseguiu no fim do dia uma liminar da ministra Maria Cristina Peduzzi, do Superior Tribunal do Trabalho, determinando que pelo menos 80% dos quadros da estatal, de todos os setores, cumpram o horário de trabalho. Boa parte das categorias anunciou greve na noite de quarta, por direitos trabalhistas.

Imprensa acuada

O Brasil está em segundo lugar num vexatório ranking de países com maior número de mortes de jornalistas na América Latina, revela a ONG Repórteres sem Fronteiras. Perde apenas para o México.

Passe livre

Secretário Nacional da Juventude, Assis Filho mantém o Road show para levar o ID Jovem a todas as capitais. Passou por Teresina (PI) há dias e lotou escola. Vai a Rio Branco (AC) dia 5. É boa a adesão de jovens (estudantes ou não) para a carteirinha digital que dá meia-entrada em programas culturais e passe-livre nos ônibus municipais.

Salve, Chagas

Está lá numa parede do Memorial JK, em Brasília, um artigo exclusivo do saudoso Carlos Chagas, publicado nos anos 70, sobre o retorno sigiloso do ex-presidente JK a Brasília, num passeio noturno por uma boleia de caminhão, ainda no regime militar. Mostra a grandeza de dois homens – do político e do jornalista, que nos deixou.

TI na grade

Reitores de grandes faculdades discutem a inclusão da disciplina Tecnologia da Informação (TI) na grade curricular. O setor movimentou US$ 59 bilhões em 2015 no Brasil. O reitor da Estácio, Ronaldo Mota, palestrou para o conselho da Unesp ontem.

Ao cardápio

Igor Kalassa, publicitário CEO da 4life Marketing Digital, lançou a revista online <vidaderestaurante.com.br>.

Ponto Final

“O projeto de abuso de autoridade é polêmico e temos que nos certificar que não haverá cerceamento do trabalho da polícia, Ministério Público e Judiciário”.

Do líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO).

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil