Comissão da Reforma da Previdência será retomada na terça-feira

Sessão foi interrompida após invasão de agentes penitenciários que protestavam contra decisão de deixar para o plenário votação que pode decidir aposentadoria especial para o segmento

Por O Dia

Brasília - O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), informou que os trabalhos do colegiado só devem ser retomados a partir da terça-feira. A sessão do colegiado em que estavam sendo votados os destaques com sugestões de mudanças no parecer do relator da proposta, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), foi suspensa na noite desta quarta-feira, após agentes penitenciários invadirem o plenário onde a reunião estava sendo realizada.

"Não temos condições de retomar os trabalhos amanhã (esta quinta-feira). A previsão é de que retomemos na próxima terça-feira. Mas antes disso quero discutir a questão da segurança da Câmara", disse Marun. O presidente da comissão e o relator foram retirados às pressas da sessão pelos policiais legislativos.

Agentes penitenciários invadiram votação da reforma da previdência para protestar contra a propostaReprodução

Agentes penitenciários invadiram a sessão da comissão especial da reforma da Previdência da Câmara por volta das 22h40 desta quarta-feira. A categoria ficou revoltada com acordo entre deputados da base aliada e da oposição que deixou para o plenário a votação de destaque que pode garantir aposentadoria especial para eles. Com o protesto, a sessão foi suspensa.

Na hora da invasão, a Polícia Legislativa chegou com escudos e capacetes e reagiu com bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta. Por questões de segurança, o relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), e o presidente da comissão especial, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), foram retirados às pressas da sala por policiais legislativos.

Texto base aprovado

?Depois de mais de oito horas de discussão, a comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a proposta de reforma da Previdência aprovou o parecer do relator Arthur Oliveira Maia (PPS-BA). O novo texto, que altera a proposta encaminhada pelo governo ao Congresso, foi aprovado por 23 votos favoráveis, 14 contrários e zero abstenção.

Os parlamentares da comissão vão agora analisar os 14 destaques de bancada apresentados ao parecer, que podem resultar em alterações no texto. Esses destaques terão votação nominal. A intenção do presidente da comissão especial, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), é concluir a votação ainda nesta quarta-feira, 3. Com a apreciação dos destaques, a proposta segue para votação no plenário em primeiro turno. Como se trata de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), é preciso dois turnos de votação na Câmara e no Senado. 

Últimas de Brasil