Osmar Serraglio recusa convite de Temer para assumir Ministério da Transparência

Ex-ministro da Justiça reassume o cargo de deputado federal no lugar do suplente Rodrigo Rocha Loures, filmado carregando a mala da propina

Por O Dia

Brasília - O ex-ministro da Justiça, Osmar Serraglio, divulgou nesta terça-feira que recusou o convite de Michel temer para assumir Ministério da Transparência. Em nota, ele afirma que volta para a Câmara dos Deputados, e retoma o posto de deputado federal, função da qual estava licenciado desde que assumiu o ministério.

Serraglio recusou comando do ministério da Transparência e segue para a Câmara dos DeputadosFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Neste domingo, o presidente anunciou a troca do comando do Ministério da Justiça e convidou Torquato Jardim, então ministro da Transparência para assumir o cargo. A ideia de Temer era promover a substituição de um pelo outro e, por isso, convidou Serraglio para o lugar de Torquato.

Na nota emitida pelo parlamentar, Serraglio agradeceu Temer pelo "privilégio de ter sido Ministro da Justiça" e disse que procurou "dignificar a confiança" depositada em seu trabalho. Ao fim, ele finaliza informando que volta a trabalhar na Câmara dos Deputados, na vaga do deputado afastado Rocha Loures, que agora perde seu foro privilegiado durante as investigações dos esquemas de corrupção da JBS. 

Torquato jardim é a esperança de Temer no TSE?

Promovido no domingo pelo presidente Michel Temer, o novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, enfrenta desconfianças, especialmente vindas da Polícia Federal, onde há o temor de que ele busque intervir na Lava Jato e em outras operações da instituição.

A nomeação do jurista também é vista como uma forma de Temer reforçar suadefesa no Tribunal Superior Eleitoral. Nessa Corte, terá início, em 6 de junho, o julgamento da chapa Dilma-Temer. Jardim foi ministro do TSE de 26 de maio de 1988 a 18 de abril de 1996.

Últimas de Brasil