Annita vai ao Senado defender o funk

Proposta defende a proibição dos bailes

Por O Dia

Brasília - A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado (CDH) fará audiência pública para debater proposta que transforma o funk em “ crime de saúde pública a criança aos adolescentes e à família”.

A iniciativa está na Sugestão Legislativa 17/2017, apresentada pelo empresário paulista Marcelo Alonso, que coletou 20 mil assinaturas em defesa da proposta. Segundo Alonso, os bailes de pancadão são “uma vergonha para a sociedade brasileira”, por promover o uso, venda e consumo de álcool e drogas, bem como o agenciamento, orgia e exploração sexual.

Na CDH, a matéria vai ser relatada pelo senador Romário (PSB-RJ), que convocou para a audiência pública os cantores Anitta, Nego do Borel, Valesca Popozuda e MC Marcinho, além da dupla Cidinho e Doca.

Romário diz querer avaliar como o Estado pode combater os crimes ocorridos durante ou após os bailes, mas sem transformar o funk em crime. “Como carioca nato e eterno funkeiro, faço questão de defender essa bandeira”, disse o senador na Comissão. Para virar projeto de lei, a sugestão precisa ser aprovada na CDH.

Últimas de Brasil