Esplanada: Temer 'recomenda' a ministros que não saiam de férias do Congresso

A estratégia é manter a contabilidade dos votos das bancadas pró-presidente no plenário, para não haver surpresas dia 2 de agosto

Por O Dia

Brasília - O presidente Michel Temer “recomendou” aos ministros que não saiam de férias durante o recesso do Congresso. A estratégia é manter a contabilidade dos votos das bancadas pró-Temer no plenário, para não haver surpresas dia 2 de agosto.

Temer conta com o apoio dos subordinados na operação contra a abertura da denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Nos próximos dias, o presidente pretende se reunir ou contatar pessoalmente mais de 100 deputados – a maioria do “Centrão”. 

Toma-lá-dá-cá

Na mesa de negociação, além das tradicionais emendas, estão cargos de segundo e terceiro escalões ocupados pelo PSDB - em eterna iminência de saída da base.

Tá tudo bem...

Temer prepara outros vídeos nos quais tentará passar a mensagem de “normalidade”. Já está pronto o roteiro do vídeo em que falará dos avanços do Bolsa Família.

Em baixa

Embora ressabiado com os votos do PSDB pela aceitação da denúncia na CCJ, Temer mantém a classificação dos 4 ministros tucanos como “leais ao Governo”.

Déjà vu

A oposição que hoje denuncia a generosidade de Temer na liberação de emendas aos aliados já esteve do outro lado do balcão. Em abril de 2016, uma semana antes da votação do impeachment na Câmara, a então presidente Dilma Rousseff liberou para empenho e pagamento R$ 6 bilhões para emendas individuais de deputados e senadores.

Circo

Do mesmo jeito que fizeram PSOL e REDE ontem, à época, o líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO), ingressou no Supremo Tribunal Federal com um mandado de segurança para tentar barrar o pagamento de emendas. Em vão. O resto é circo, dos dois lados.

Calça-justa

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, está chateado. Temer desmarcou de última hora visita a Caruaru (PE), para entrega do Cartão Reforma, num dos redutos eleitorais do deputado-ministro. Araújo já havia recrutado claque com prefeitos e vereadores

O de sempre

Foram distribuídos na Esplanada dos Ministérios e em pontos de ônibus no Plano Piloto panfletos apócrifos com rasa defesa do ex-presidente Lula e ataques ao Judiciário.

Soltinhos da Silva

Chama a atenção o trocadilho em uma das frases dos impressos: “Esse juiz, o Sérgio Moro, e os procuradores estão deixando os políticos ladrões ‘soltinhos da silva’”.

Engavetador

A crise no Governo Temer "abafou", por enquanto, o descaso com o sistema penitenciário brasileiro. Embora pouco efetiva, a Organização dos Estados Americanos, por meio da Corte Interamericana de Direitos Humanos, prepara nova condenação do Governo brasileiro pelo descaso nas cadeias.

Cartão vermelho

Mais de 4 mil servidores públicos foram expulsos nos últimos 14 anos por envolvimento em esquemas de corrupção. Em junho, foram 138 casos de punições rigorosas de funcionários da Administração Pública Federal envolvidos em atos ilícitos. Em 2016, no mesmo período, foram expulsos 343 servidores e, no ano anterior, 332.

Ranking Esplanada

O Ministério da Educação lidera o ranking de pastas com maior número de servidores expulsos em junho. Depois, aparecem o ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Fazenda, Saúde, Justiça e Planejamento. Os dados são da CGU.

Expulsão automática

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) apresentou projeto que pretende tornar automática a perda da função pública do servidor condenado por corrupção. Atualmente, muitos são condenados, mas mantêm os vencimentos mensais.

Ponto Final

Fico no PMDB, quero e tento resgatar a alma popular, democrática e nacionalista de nosso partido. Combato recentes perversões partidárias."

Do senador Roberto Requião (PMDB-PR). 

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil