'Misturador de voz' no gabinete de Temer

Presidente tenta se proteger de indiscrições

Por O Dia

Brasília - Depois de o presidente Michel Temer ter sido gravado em conversa comprometedora com o empresário Joesley Batista, da JBS, no Palácio do Jaburu, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) mandou instalar no gabinete presidencial um mecanismo chamado “misturador de vozes”.

A ideia é impedir que as conversas do presidente possam ser usadas contra ele.
O aparelho emite sons em uma frequência que danifica vozes eventualmente gravadas no gabinete. O áudio fica repleto de ruídos, se tornando inaudível — e imprestável como prova.

Além do gabinete do presidente, as salas dos ministros do Palácio também receberam o dispositivo. O Jaburu também está na lista dos que receberão o aparato. Temer já havia sido gravado em seu gabinete pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, em novembro do ano passado.

O gabinete também conta com telefone criptografado. O GSI recomenda que o presidente utilize apenas telefones com a tecnologia, também de forma a evitar gravações.

Últimas de Brasil