Janot volta a pedir ao Supremo a prisão de Aécio Neves

O novo pedido do procurador será julgado pelo STF assim que a Corte retomar as atividades, após recesso do Judiciário

Por O Dia

Brasília - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu novamente a decretação da prisão do senador Aécio Neves (PSDB). Em petição ao ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador sustenta que o tucano solicitou e recebeu propina de R$ 2 milhões do empresário Joesley Batista, da JBS.

Janot já havia requerido a prisão de Aécio, inicialmente rejeitada pela Corte. O senador chegou a ser afastado das funções parlamentares, recuperadas pelo tucano por determinação do ministro Marco Aurélio.

Aécio Neves foi o segundo que recebeu mais dinheiro da JBSEBC

O novo pedido do procurador será julgado pelo STF assim que a Corte retomar as atividades, após recesso do Judiciário. A reportagem entrou em contato com a assessoria do senador, mas não obteve resposta. Aécio nega ter cobrado propina da JBS. O senador alega, desde o início do caso, que pediu recursos para bancar despesas com advogados de defesa.

À época, a defesa do senador divulgou a seguinte nota:

"A defesa do senador Aécio Neves reafirma que o dinheiro foi um empréstimo oferecido por Joesley Batista com o objetivo de forjar um crime que lhe permitisse obter o benefício da impunidade penal.

O empréstimo não envolveu dinheiro público e nenhuma contrapartida por parte do senador, não se podendo, portanto, falar em propina ou corrupção.

O senador tem convicção de que as investigações feitas com seriedade e isenção demonstrarão os fatos verdadeiramente ocorridos".

Últimas de Brasil