'Distritão' é consenso para 2018, diz senador tucano

Membro do PSDB no Senado afirma que novo modelo de votação deve ser adotado já nas eleições de 2018

Por O Dia

Brasília - O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) afirmou nesta terça-feira, que está se formando consenso em torno da proposta de se adotar o modelo chamado de "distritão" em 2018. Por esse sistema, os candidatos mais votados ao Legislativo são eleitos.

'Distritão' é uma das prioridades da reforma política no SenadoAntonio Cruz / Agência Brasil

O tema vai ser debatido nesta quarta-feira na comissão sobre reforma política instalada na Câmara. Se o novo modelo for aprovado pelos deputados, ainda terá que ser analisado pelo Senado.

"O sentimento que eu tenho é que os parlamentares devem aprovar o 'distritão' para 2018 e o distrital misto a partir de 2022", disse. A declaração foi dada após participar de um jantar com deputados e senadores para discutir reforma política.

Segundo ele, o próprio relator da comissão, deputado Vicente Cândido (PT-SP), admitiu que o novo sistema vai ser aprovado. Até agora, ele não incluiu o modelo no seu relatório, mas deputados trabalham para convencê-lo a propor o "distritão" na versão final do texto que será apresentada nesta quarta-feira. O PT é contra a proposta.

'Distritão'

Vontade da maioria dos parlamentares em exercício, o modelo de votação para deputados e vereadores conhecido como "distritão" é usado, hoje, somente em quatro países (Afeganistão, Jordânia, Vanuatu e Pitcairn). Neste processo, os candidatos mais votados seguem direto para as cadeiras parlamentares independentemente dos votos recebidos pelos seus respectivos partidos.

Atualmente, estas cadeiras são distribuídas proporcionalemente pelo apoio recebido pelas siglas e coligações, que distribuem suas cadeiras para os candidatos mais bem votados de cada partido. 

Considerado um modo mais fácil para reeleger deputados e vereadores, o modelo também pode diminuir a presença de partidos menores no parlamento, assim como seus recursos. 

Com informações da Agência Estado

Últimas de Brasil