Quatro suspeitos são presos pelo assassinato de seis trabalhadores quilombolas

Quilombo de Iúna, na Bahia, onde aconteceu o crime, teve processo de regularização iniciado recentemente pelo governo

Por O Dia

Bahia - A Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) da Bahia confirmou, nesta quarta-feira, a prisão de quatro acusados pela morte de seis trabalhadores rurais quilombolas, no distrito de Iúna, na região de Lençóis, na Chapada Diamantina. Foram presos Léo Careca, Professora Indira, Alef da Cesta e Tiago Gordo. Entre os quatro, a mulher foi presa em flagrante, pelo crime de tráfico de drogas com outras duas pessoas.

Segundo a SDR, o crime ocorreu na noite do último domingo, quando seis homens foram encontrados mortos. A superintendência do Incra na Bahia divulgou nota de pesar pela morte dos quilombolas. A polícia, no entanto, descartou a disputa por terra como motivação dos assassinatos.

A SDR informou que "a motivação foi uma rivalidade do grupo de traficantes comandado por Léo Careca e seus comparsas, dentre outros, com as pessoas assassinadas por este grupo, inclusive, com requintes de crueldade".

Território Quilombola de Iúna%2C na Bahia%2C onde seis trabalhadores foram mortos no domingoDivulgação/Incra

Os órgãos que acompanham as investigações, sobretudo as polícias Militar e Civil, manifestaram, por meio da SDR, "total repúdio a todas as mortes violentas ocorridas, sejam elas precedidas ou não de indícios ou confirmação de prática delituosa pelas vítimas".

Últimas de Brasil