Vice-líder do PMDB na Câmara parabeniza PF pela prisão de Geddel

Um dos membros da 'tropa de choque' de Temer, Carlos Marun destaca trabalho da corporação: 'Não ficou como preguiçosos, só com a delação'

Por O Dia

Brasília - Vice-líder do PMDB na Câmara e um dos congressistas mais fiéis a Michel Temer, o deputado Carlos Marun (MS) afirmou, nesta sexta-feira, que a Polícia Federal está de parabéns pela prisão do ex-ministro peemedebista Geddel Vieira Lima. Para o parlamentar, a prisão do correligionário entristece os integrantes da legenda, mas mostra que a PF cumpriu seu trabalho de investigação, sem ficar presa apenas a fala de delatores.

O deputado Carlos Marun (PMDB-MS) parabenizou a PF pela prisão de GeddelAntonio Augusto/Agência Câmara

"Claro que entristece, mas é resultado das investigações. Isso prova que a delação deve ser meio de prova para que haja a investigação. A PF investigou e chegou a esse resultado que foi estampado por todos os jornais. Está de parabéns a Polícia Federal, que não ficou como muitos preguiçosos, que só ficam com a delação premiada", disse o parlamentar.

Marun admitiu que a prisão de Geddel, ex-ministro da Secretaria de Governo do presidente Michel Temer, não é boa para o PMDB, mas tentou afastar os possíveis crimes do ex-ministro da legenda "Bom não é, mas é uma coisa que está concentrada na pessoa dele", afirmou. Segundo ele, por enquanto, o partido não deve tomar nenhuma atitude contra o ex-ministro. "O pior que podia acontecer já aconteceu, que foi ele está preso", declarou.

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), também tentou afastar ligação de Geddel com a sigla. "Ele não tem nada a ver com o PT, foi indicação do Michel Temer", disse o petista, ao se referir à indicação de Geddel para comandar o Ministério da Integração Nacional durante o segundo governo Lula. "Ninguém sabia que ele tinha aquelas malas de dinheiro. Você vai adivinhar? Foi uma indicação política", disse.

Últimas de Brasil