Michel Temer lança programa de R$ 3 bilhões em crédito

O 'Progredir' pretende emancipar um milhão de lares inscritos no Bolsa Família

Por O Dia

Brasília - Enquanto a Câmara dos Deputados lia a denúncia por organização criminosa e obstrução de justiça, o presidente Michel Temer tentava dar ar de normalidade com a sua 'agenda positiva'. Era o lançamento do Programa Progredir, de fomento ao microcrédito. Tocada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, a ação prevê R$ 3 bilhões às famílias do Cadastro Único dos programas sociais, como o Bolsa Família, a fim de criar oportunidades para que elas possam empreender e deixar de depender do benefício.

Michel Temer recebeu ministros no lançamento do Programa Progredir%2C onde voltou a falar bem do paísAntonio Cruz / Agência Brasil

O Progredir funcionará de forma articulada entre parceiros públicos e privados. Empresas parceiras vão reservar 10% das vagas para o público do plano. Além da linha de microcrédito, o Progredir vai oferecer cursos de qualificação. Para isso, o programa terá ações conjuntas com outros ministérios, e será ofertados 1 milhão de vagas em cursos do Pronatec Oferta Voluntária.

Também está prevista a criação de vagas em cursos de formação inicial ou continuada. Entre eles, cursos online de inclusão digital com foco nos jovens e oficinas de educação financeira. E haverá cruzamento de currículos e de vagas de emprego oferecidas por empresas parceiras.

Temer tem um sonho

No discurso, Michel Temer revelou um sonho: o fim do Bolsa Família. "Meu sonho é que daqui a 10, 15 anos, não vou fixar prazo, que num dado momento venhamos aqui para comemorar a desnecessidade de qualquer benefício individual e que todos estarão empregados no país", disse, recebendo aplausos de ministros e presidentes de bancos.

O presidente confidenciou que o nome poderia ser um "novo lema do governo" e repetiu que em poucos meses já produziu muitas coisas no campo social e no desenvolvimento. "A Bolsa de Valores atingiu o seu maior pico, mais de 76 mil pontos; quando a Bolsa reage desta maneira, significa credibilidade e confiança. E ninguém investe sem confiança", declarou.

Temer voltou a exaltar os números da economia: disse que quando assumiu o governo o país estava em uma "recessão muito expressiva" e que agora está em um novo rumo. "Nos últimos cinco meses, o país começou a responder ao trabalho de combate à recessão", disse, ressaltando que no tocante ao emprego também nos últimos cinco meses os dados são positivos.

A Câmara dos Deputados concluiu no fim da tarde a primeira etapa do longo trâmite da segunda denúncia da PGR contra Temer. Segunda-secretária da Mesa Diretora da Casa, a deputada Mariana Carvalho gastou cinco horas e meia na leitura da peça, que agora vai para a Comissão de Constituição e Justiça.

Últimas de Brasil