Esplanada: Geddel assista da cadeia guerra entre seus seguranças e índios

Caciques foram à Funai ontem cobrar presença do órgão em Itapetinga (BA), onde fica a propriedade de cultivo de cacau do ex-ministro

Por O Dia

Brasília - Não bastasse a prisão, o cerco da Polícia Federal ao irmão deputado federal Lúcio Vieira, além da delação do doleiro Lúcio Funaro, o ex-ministro Geddel Vieira Lima assiste da cadeia a uma guerra entre seus seguranças da Fazenda Esmeralda e índios Pataxós-hã-hã-hães no Sul da Bahia.

Caciques foram à Funai ontem cobrar presença do órgão em Itapetinga (BA), onde fica a propriedade de cultivo de cacau. Eles acusam Geddel de grilar terras indígenas. Para piorar a situação, há 3 dias um pataxó foi morto a tiros dentro da fazenda por supostos capangas da propriedade do peemedebista. 

Faroeste baiano

Pataxós-hã-hã-hães e Caramurus invadiram a fazenda de Geddel e o clima continua tenso. Pedem investigação da Funai e acusam o político de invadir reserva indígena.

Na moita

Representantes de Geddel já passaram pela Funai em Brasília. A assessoria do órgão não se posicionou até o fechamento, e não encontramos os advogados do ex-ministro.

Procurador

O senador Zezé Perrella, cria de Aécio Neves, foi seus olhos no Senado. Falaram-se pelo celular a todo momento. Foi Perrella quem buscou senadores para votação.

Contabilidade

O Palácio do Planalto agora tem contabilidade interna. O Decreto 9.169 de 16 de outubro criou o JEO – Junta de Execução Orçamentária, que terá no conselho os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, da Casa Civil, Eliseu Padilha, e do Planejamento, Dyogo Oliveira. Caberá a eles ‘a condução da política fiscal do Governo’, com vistas ‘ao equilíbrio da gestão dos recursos públicos’.

Triunvirato

Ficará na mão do triunvirato, que se torna agora o mais poderoso da Esplanada, a chave do cofre do Governo. Sairá deles também as decisões de liberação de emendas parlamentares e prioridades em investimentos. Mas o risco é esse: se dois não toparem, um não aprova.

Vai dar...

Pelo perfil dos atuais ministros, Meirelles e Oliveira – que seguram as contas do Governo – podem se unir para barrar decisões ‘políticas’, digamos, mais liberais de Padilha. A conferir.

Sem crise

O empresário Flávio Rocha vai inaugurar em uma semana a loja 300 da Riachuelo.

Do lado de lá

A Riachuelo vai ampliar a fábrica no.. Paraguai, e se tornará a maior empregadora do país. Rocha revelou no almoço do LIDE Brasília, ciceroneado por Paulo Octávio.

Plantão médico

O Senado ontem estava mais para plantão médico. Aécio Neves em casa, enfermo do moral; Ronaldo Caiado chegou de cadeira de rodas, após cair de mula; Paulo Bauer voltou correndo do hospital, após alteração de pressão; Romero Jucá, segundo Renan Calheiros, estava ali firme após arrancar ‘metade das tripas’. A maioria deles por Aécio.

Reciclagem

A Coca-Cola e a cervejaria Ambev lançarão um programa conjunto de reciclagem, o Reciclar pelo Brasil, em parceria da Associação Nacional dos Catadores. A expectativa é a de que as atuais 110 cooperativas recebam até 25% a mais de investimentos.

Respira, Rio

O empresário brasiliense Jamil Elias Suaiden, que controla o Centro Internacional de Convenções do Brasil, negocia com um fundo de investimentos a reconstrução de um ícone do turismo do Rio de Janeiro: O Gávea Tourist Hotel, aquele esqueleto abandonado em meio à floresta, que adquiriu por R$ 30 milhões.

Alô, secretário

Aliás, Jamil aguarda o alvará de licença a ser entregue pelo secretário de Urbanismo da cidade, Índio da Costa. O hotel terá 400 quartos. Sopro de esperança em tempos de crise

Água abaixo

Agendado para dia 24, o leilão da Cedae, a companhia de águas do Estado do Rio de Janeiro, está bilhões de litros abaixo do que vale, contam especialistas.

Ponto Final

É isso que o Congresso deveria fazer: Acabar com o foro por prerrogativa de função

Do senador Antonio Reguffe (Sem partido-DF), direto ao cerne, em discurso na tribuna do Senado, na esteira do caso de Aécio Neves.

Coluna de Leandro Mazzinni

Últimas de Brasil