Mais de 500 mil pessoas são vacinadas contra febre amarela em São Paulo

Prefeitura atingiu metade da meta estipulada para a primeira fase da ação preventiva contra a doença

Por O Dia

São Paulo - Mais de 500 mil pessoas foram vacinadas contra a febre amarela na Zona Norte da capital paulista até esta quarta-feira, atingindo a meta estipulada pela prefeitura para a primeira fase da ação preventiva contra a doença. A prefeitura anunciou que pretende vacinar um total de 2,5 milhões de pessoas contra a febre amarela.

Moradores da zona norte de São Paulo fazem fila para se vacinarem contra febre amarela na Unidade Básica de Saúde no Jardim PeriAgência Brasil

“Atingimos nossa meta de 501.737 pessoas vacinadas antes do esperado. Isso significa que nossas ações estão sendo bem-sucedidas e a população tem participado ativamente. Além do horário ampliado durante a semana [das 7h às 19h], também abrimos as UBS [unidades básicas de saída] nos fins de semana, o que ajuda muito no alcance da campanha”, disse Wilson Pollara, secretário municipal de saúde. O horário ampliado começou no último dia 27.

A imunização na zona norte começou no último dia 21 com foco nas pessoas que moram em um perímetro de até 500 metros do entorno dos parques Horto Florestal e da Cantareira. A partir do dia 26, a vacinação foi amplilada para 37 Unidades Básicas de Saúde. A meta é chegar em 91 postos, de acordo com a prefeitura.

População lota postos em busca da vacina contra a febre amarela Maíra Coelho/Agência O Dia

No feriado prolongado de Finados, as unidades funcionarão em esquema de plantão. Hoje (2) e domingo (5), as unidades funcionam das 8h às 14h; nesta sexta e sábado, das 8h às 17h.

Morte de macacos

As ações preventivas contra a febre amarela começaram após a confirmação da presença do vírus da doença em três macacos encontrados mortos: um no Horto Florestal (no último dia 20) e dois no Parque Anhanguera (24), que estão fechado à visitação. Segundo a prefeitura, até o momento, não há confirmação de caso de Febre Amarela em humanos, contraída na cidade.

Ao todo, 15 parques da capital paulista estão fechados, por tempo indeterminado, como medida preventiva após a morte dos macacos. Além desses, estão interditados ainda: Senhor do Vale, Pinheirinho D’Água, Jacintho Alberto, Rodrigo de Gásperi, Jardim Felicidade, Cidade de Toronto, São Domingos, Tenente Brigadeiro Faria Lima, Lions Tucuruvi, Sena, Linear Canivete, Córrego do Bispo e da Cantareira.

Últimas de Brasil