MP denuncia homem que matou jovem durante carona combinada por app

Homem responderá por latrocínio (roubo seguido de morte), estupro, ocultação de cadáver e fraude processual

Por O Dia

Brasília - O Ministério Público informou, nesta terça-feira, ter finalizado a denúncia envolvendo o homem que confessou matar e roubar a jovem Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, durante uma carona marcada pelo WhatsApp. O suspeito pelo crime, Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, responderá por latrocínio (roubo seguido de morte), estupro, ocultação de cadáver e fraude processual.

Foragido da cadeia desde março, ele confessou ter assassinado a vítima em Frutal, em Minas Gerais, para roubar seu carro. A jovem deu carona ao rapaz ao sair de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, com destino a Itapagipe, no Estado vizinho. Também foram denunciados - mas pelo crime de receptação - dois homens que teriam comprado partes do veículo. 

De acordo com a denúncia, Kelly foi asfixiada, perdeu os sentidos e foi violentada por Jonathan, que depois a matou por enforcamento. Segundo o MP, ele cometeu o assassinato "a fim de evitar que a vítima o reconhecesse futuramente".