Esplanada: Temer decide demitir Luislinda Valois dos Direitos Humanos

A substituta deve ser uma deputada do PMDB, embora o PRB tente a vaga para Tia Eron

Por O Dia

Brasília - O presidente Michel Temer decidiu demitir Luislinda Valois, ministra dos Direitos Humanos, e procura uma saída honrosa para a tucana baiana. A substituta deve ser uma deputada do PMDB, embora o PRB tente a vaga para Tia Eron, deputada federal licenciada e hoje secretária de Promoção Social de Salvador.

O ministro Antonio Imbassahy está de malas prontas para assumir o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União, e para seu lugar será confirmado o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), da tropa de choque do presidente no Congresso.

Articulou

Marun chegará ao Palácio para a Articulação Política com as bênçãos da base e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Desafeto

Hoje, Imbassahy não quer ir para a Transparência. Mas fora do Palácio, deve aceitar o novo cargo, diz fonte do PSDB. Fabinho Ramalho, vice da Câmara, pediu sua cabeça.

Ninho news

Na medição de forças para a convenção do dia 12, o grupo majoritário do PSDB está com 60% dos delegados. Os outros 40% vão aceitar indicação de cargos na Executiva.

Dilma, o retorno

A ex-presidente Dilma Rousseff quer se candidatar ao Senado pelo PT de Minas Gerais. Ela deve voltar à terra natal e aproveitar o cenário a favor: há duas vagas para o Senado, o governador Fernando Pimentel fará campanha para ela, e Dilma deseja se vingar de Aécio Neves (que está em baixa), um dos principais articuladores de sua derrocada.

Pedala, Dilma!

Dilma quer pedalar em Ipanema a partir de hoje, se o tempo melhorar. Ela está no Rio de Janeiro desde segunda passada, reclusa no apartamento da mãe, na Zona Sul. Fez reuniões com grupo titulado ‘Volta, Dilma’, composto por intelectuais e parlamentares aliados. Ela tem até dia 7 de maio para transferir o título de Porto Alegre para BH.

Sem apito

Um diretor da Funai apadrinhado da bancada ruralista da Câmara está na mira da Transparência e do Palácio. Ele tem intimidado funcionários e demite subordinados que não topam suas empreitadas na canetada.

Na pista

A chave está na ignição das patrulhas da PF do Rio de Janeiro, e a rota já traçada. Vem aí uma limpa no segundo escalão da Petrobras, da Alerj e do Governo do Rio.

Na Econômica

Prefeito do Rio, Marcelo Crivella foi visto em voos comerciais na ponte aérea para Brasília. Voltou na última quinta-feira para casa. Eduardo Paes só voava de jatinho.

Palanque na TV

O episódio do ator Pedro Cardoso abandonando ao vivo o programa Sem Censura, na TV Brasil, seguiu um script. Ele disse que não participaria em respeito aos servidores em greve. Simpatizante do PT, o ator chegou cedo, conversou com grevistas, esperou o programa ir ao ar e fez discurso de cunho político atacando o Governo. Sem Censura.

Cara-crachá

Direito de greve é constitucional. Mas nos bastidores o roteiro é outro. Os servidores querem aumento de salário – o que é negado pelo Governo pela contenção de despesas. O que irritou a turma também foi a implantação de ponto biométrico na emissora.

A Crítica

Filha de Luiz Carlos Prestes, a historiadora Anita Prestes, 81 anos, elogiou Marx e Lenin, mas chamou Gorbachev de incompetente e criticou o presidente Vladmir Putin. Foi em palestra sobre os 100 anos da Revolução Russa, na sede do Pátria Livre no Rio.

Sobrou para todos

Sobre o Brasil, Anita falou muito mal de Lula, Dilma e Temer. Disse que “os governos do PT fortaleceram os banqueiros, com Henrique Meireles na presidência do BC”.

Câncer em foco

Especialistas em oncologia de vários países esticaram o fim de semana para passeio no Rio de Janeiro. Eles participaram na sexta e ontem do V Congresso Internacional de Oncologia, promovido pelo grupo D’Or, para debater perspectivas da cura do câncer.

Alerta

Um dos módulos do Congresso foi Novembro Azul, mês de conscientização e alerta para os sinais e tratamento do câncer de próstata. Recentes pesquisas apontam que cerca de 95% dos casos só são detectados em estágio mais avançado da doença. 


Coluna do jornalista Leandro Mazzinni

Últimas de Brasil