Esplanada: Governo trabalha com plano B para reforma da Previdência

Planalto já admite postergar a votação para fevereiro e, durante o recesso, intensificar as propagandas e o 'toma lá, dá cá' com deputados

Por O Dia

Brasília - Apesar do discurso em uníssono do presidente Michel Temer e da base de que a reforma da Previdência será votada entre os dias 18 e 22, o Governo trabalha nos bastidores com um plano B. Fato é que os votos pró-reforma estancaram na casa dos 270 e são ínfimas as expectativas de alcançar os 308 necessários para aprovar a PEC.

Para evitar derrota no plenário e desgastes, o Planalto já admite postergar a votação para fevereiro e, durante o recesso, intensificar as propagandas e o “toma lá, dá cá” com deputados.

Barulho na porta

Na contra-ofensiva, sindicatos preparam protestos para esta semana com piquetes em aeroportos, para constranger políticos, e em frente a residências de parlamentares.

Telhado de vidro

Os sindicatos estudam espalhar em outdoors mensagens com as aposentadorias ‘precoces’ de Michel Temer (aos 55) e de ministros da Esplanada.

Ciro’n Rio

Ciro Gomes, pré-candidato do PDT ao Planalto, faz palestra na Associação dos Empregados da Eletrobrás no Rio de Janeiro na terça. Contra a privatização, claro.

General Mourão

Em palestra na quinta-feira à noite em Brasília, o conhecido General Antonio Hamilton Mourão disse que vai para a reserva em março de 2018 e que “não há portas fechadas na minha vida” em relação a possível filiação partidária e candidatura a cargo eletivo.

Agora vai?

Num vaivém há meses na pauta do Supremo Tribunal Federal, a ADI 4874, que trata da proibição do uso de aditivos de sabor no cigarro, voltou à fila para esta semana. A ação contra é da Anvisa, que informa ter jurisprudência, embora a indústria do tabaco conteste. Fato no mercado é que restringir o uso do sabor não vai inibir o consumo.

Fumaça do mal

Segundo dados do Ibope, o Brasil é líder mundial em venda de cigarros piratas e contrabandeados, com 48% de todo o mercado dominado por marcas ilegais. Dos 510 mil pontos que comercializam cigarros, 108 mil só vendem produtos ilegais (21%).

Exportação em alta

Veja como a economia retomou o rumo. Em 2017, por dados do presidente da Apex, Roberto Jaguaribe, 1.300 empresas brasileiras passaram a exportar para a Europa.

Made in China

Jaguaribe ainda chama atenção para a gigante China: em 20 anos, no ritmo atual, o volume que o país negociará em e-commerce vai ultrapassar o PIB do Japão.

No limite

Membro da base, o presidente da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização, senador Dário Berger (PMD-SC), anda atirando contra a proposta do Governo que fechou a torneira e impôs limite por 20 anos nos gastos públicos.

Rumo à UTI

O Governo de Minas Gerais deve mais de R$ 6,2 milhões ao programa Rede Aceito, no qual a administração desconta valores do contra-cheque dos servidores que compram medicamentos a baixo custo em drogarias credenciadas.

Vai mal

Há meses, segundo a empresa intermediadora do pagamento às farmácias, o Palácio retém o dinheiro e não repassa à Rede Aceito. Procurada pela reportagem, a assessoria do Governo não respondeu.

Má vontade

O Conselho Nacional de Justiça atualiza que 60 dos 90 tribunais brasileiros enviaram as informações referentes à remuneração dos magistrados. Mas demoraram três meses, e os dados ainda são compilados. A presidente do CNJ, ministra Cármen Lúcia, deu pito.

Carnaval tá aí

Aviso aos turistas brasileiros que não abandonam o Rio de Janeiro: As baterias das 13 escolas principais de samba do Rio serão as estrelas da festa que o produtor Haroldo Costa promoverá dias 13, 20 e 27 de janeiro no Terreirão do Samba.

Coluna de Leandro Mazzinni

Últimas de Brasil