Por bruno.dutra

Washington - O Banco Central (BC) pode pausar seu atual ciclo de aumentos dos  juros  enquanto o BC enxergar o  choque de preços nos alimentos como temporário, disse o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, em entrevista ao Wall Street Journal em Washington.

A decisão vai depender de dados econômicos, bem como de alterações nas perspectivas de inflação, segundo o jornal, citando Tombini em entrevista feita em Washington. A assessoria de imprensa do Banco Central confirmou o conteúdo da entrevista, quando contactado pela Bloomberg News e disse que a instituição financeira anuncia sua política monetária a cada seis semanas.

O Banco Central tem impulsionado os custos dos empréstimos, depois de nove aumentos consecutivos da Selic em nove reuniões, marcando o maior ciclo de aperto entre as principais economias mundiais. Os preços ao consumidor aceleraram mais do que as previsões dos analistas duas vezes no primeiro trimestre deste ano, com a inflação podendo ultrapassar o intervalo estabelecido para 2014.

A inflação medida pelo IPCA acelerou  para 0,92% em março, frente os 0,69% registrados em fevereiro, superando as estimativas de analistas e empurrando a taxa anual acumulada para 6,15%. O fator mais importante na sua aceleração foi o setor de alimentos e bebidas. A meta de inflação é de 4,5%podendo oscilar dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

"O aumento da taxa de juros ainda está trabalhando na economia do Brasil", disse Tombini, de acordo com o Wall Street Journal.



Você pode gostar