Vendas no varejo registram 0,2% de alta em fevereiro

Em relação ao mesmo mês de 2013, crescimento foi de 8,5%

Por O Dia

Rio de Janeiro -  O volume das vendas no varejo teve leve alta de 0,2% de janeiro para fevereiro, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  A receita nominal registrou a mesma taxa de crescimento durante o período. 

Em relação ao mês anterior,  o volume de vendas cresceu pelo segundo mês consecutivo e a receita nominal evolui positivamente desde junho de 2012. Quanto à média móvel, para o volume de vendas a variação foi 0,1%, enquanto a receita cresceu 0,6%.

Números do bimestre

As vendas no comércio varejista do país cresceram nos dois primeiros meses do ano 7,4% em comparação ao acumulado no primeiro bimestre do ano passado. Em relação a fevereiro de 2013, a expansão foi 8,5%, o que levou o crescimento acumulado dos últimos 12 meses (a taxa anualizada) a uma alta de 5% sobre o mesmo período anterior.

Na mesma base de comparação, a receita nominal de vendas do comércio varejista registrou expansão de 13,9%.  Houve desaceleração em relação fevereiro do ano passado, para 13,3%, e e na taxa anualizada, para 12,3%.

Varejo ampliado

Os dados do IBGE indicam, por outro lado, que o comércio varejista ampliado (varejo mais as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção) voltou a registrar queda de 1,6% em fevereiro para o volume de vendas, e de menos 0,8 para a receita nominal, comparativamente a janeiro - na série com ajuste sazonal.

Na série sem ajuste, quando a comparação se dá com o mesmo período do ano passado, em fevereiro deste ano houve crescimento no comércio varejista ampliado de 8,4% para o volume de vendas e de 13,3% na receita nominal. No bimestre, a alta acumulada foi 6,5%, caindo para 3,9% nos últimos 12 meses, para o volume de vendas, e 11,5% e 9,4% para a receita nominal, respectivamente.

Setores

Em relação a fevereiro de 2013, sete das oito atividades pesquisadas pelo IBGE registraram alta. Apenas o segmento de livros, jornais, revistas e papelaria obteve resultado negativo no volume de vendas, com queda de 4,2%.

Os destaques positivos foram liderados pelo segmento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com 5,1%; artigos de uso pessoal e doméstico cresceram 17,2%; combustíveis e lubrificantes, 13,5%; móveis e eletrodomésticos, 10,5%; artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, 15,2%; tecidos, vestuário e calçados, equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, 7,1%.

Já em relação à janeiro deste ano, houve alta nas vendas em quatro das atividades pesquisadas. Em relação às demais, duas registraram estabilidade e o restante apresentou taxas negativas.

Entre os principais destaques estão equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, com crescimento de 9,%; material de construção (2,2%); combustíveis e lubrificantes (1,6%); artigos de uso pessoal e doméstico cresceram 0,5%; ficaram estáveis móveis, eletrodomésticos e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos; hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,3%); tecidos, vestuário e calçados (-0,5%); livros, jornais, revistas e papelaria (-3,4%); e veículos e motos, partes e peças com -7,6%.

Últimas de _legado_Notícia