CMN libera R$ 5,5 bilhões em crédito para saneamento e mobilidade urbana

Para saneamento ambiental, serão destinados R$ 3,5 bilhões. Os R$ 2 bilhões restantes financiarão projetos de transporte coletivo, como corredores de ônibus, BRT, VLP e VLT

Por O Dia

As prefeituras e os governos estaduais poderão pegar mais R$ 5,5 bilhões em financiamentos de obras de saneamento e de mobilidade urbana. O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou a ampliação dos limites de crédito para os entes públicos contratarem empréstimos para projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) nessas áreas.

Dos R$ 5,5 bilhões, R$ 3,5 bilhões destinam-se a obras de saneamento ambiental. Os R$ 2 bilhões restantes financiarão projetos de transporte coletivo, como corredores de ônibus, Bus Rapid Transit (BRT), veículo leve sobre pneus (VLP) e veículo leve sobre trilhos (VLT).

Novos projetos de BRT receberão crédito da CMNDivulgação

De acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional, o CMN atendeu a pedido do Ministério das Cidades para ampliar os limites de crédito. A quantia que as prefeituras e os governos estaduais podem pegar emprestada no sistema financeiro passou de R$ 19,4 bilhões para R$ 21,4 bilhões para os projetos de mobilidade e de R$ 25,95 bilhões para R$ 29,45 bilhões para as ações de saneamento.

O CMN é composto pelos ministros da Fazenda, Guido Mantega; pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. A reunião mensal do órgão ocorreu na última sexta-feira, mas os votos só foram divulgados nesta segunda-feira à tarde.

CMN reabre contratações de financiamentos do Programa Caminho da Escola

Os estados e municípios ganharam um prazo extra para pegarem empréstimos para modernizar as frotas de ônibus escolares. O CMN ampliou para 31 de dezembro o prazo de contratação das operações de crédito do Programa Caminho da Escola. O prazo tinha acabado em 31 de dezembro do ano passado, mas o CMN reabriu as contratações. 

Em vigor desde abril de 2007, o programa financia a compra de ônibus escolares para alunos da rede pública com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Dos R$ 900 milhões autorizados para a linha de crédito, até agora o programa emprestou pouco mais da metade do valor. Segundo o Tesouro, a existência de recursos disponíveis e a demanda pelos financiamentos levaram à reabertura do prazo.

Últimas de _legado_Notícia