Por marta.valim

Seja em férias ou a negócios, os brasileiros que viajam pelo país estão optando, cada vez mais, por um meio de hospedagem pra lá de conhecido dos estrangeiros, mas pouco usual aqui: o aluguel por temporada. Muito além das casas de veraneio, na praia ou na serra, portais nacionais e internacionais anunciam a locação de castelos, ilhas, apartamentos inteiros, cômodos e até sofás e redes para estadia. A reboque do aumento de usuários da internet e da realização de eventos internacionais no país, o mercado registra um crescimento assustador, que chega a ser de 10 vezes em apenas dois anos.

É o caso dos portais Airbnb Brasil e Voltem.com, este associado do Hotel Urbano, que começou com o nome de House in Rio. Com atividades iniciadas em 2012, eles saíram de um total de 3 mil imóveis anunciados, para 40 mil em 2014. Na Copa , o Voltem.com viu sua base no Rio de Janeiro saltar de 3 mil imóveis anunciados para 6 mil em poucos dias. A expectativa é a de que, em todo o país, a empresa atinja um volume de 100 mil divulgações no fim deste ano.

Em ambas as plataformas, o proprietário se cadastra no site e publica o anúncio, gratuitamente. Ele paga uma comissão apenas no momento em que o negócio é fechado, o que é feito diretamente com o cliente, mas mediado pela empresa. O pagamento é feito para a companhia, que desconta o serviço e repassa parte da quantia para o dono do imóvel. No Airbnb, o preço da hospedagem traz embutido uma taxa de 6% a 12% paga pelo hóspede, e de 3% paga pelo proprietário.

Além da segurança, comodidade e preços abaixo das hospedagens em hotéis, no Voltem.com o hóspede pode parcelar a estadia em 10 vezes, com juros embutidos. Já o Airbnb oferece uma garantia de R$ 1,8 milhão ao anfitrião, para casos de danos à propriedade que não tenham sido resolvidos com o hóspede.

Com um formato mais clássico de anúncio, em que apenas residências livres são divulgadas e a negociação fica a cargo apenas do proprietário, o Alugue Temporada — que faz parte do HomeAway, líder mundial de sites de aluguel por temporada — e o Zap Temporada, do grupo Zap Imóveis, também vêm ganhando parcela expressiva desse mercado. Em apenas quatro anos, o Alugue Temporada alcançou uma expansão de 40%, e hoje tem quase 22 mil imóveis veiculados. Já o Zap Temporada registrou crescimento de 15% nos últimos 12 meses, contabilizando 75 milhões de visualizações em sua página nesse período.

“No aluguel por temporada o hóspede encontra espaço, comodidade e conforto, por um preço menor, em geral”, aponta Nicholas Spitzman, presidente do portal Alugue Temporada. “É um tipo de hospedagem que atrai grupos de jovens e famílias em alta temporada e executivos e casais na baixa. Sem falar que é uma renda extra para o anfitrião”, completa Eduardo Serrado, CEO e fundador do Voltem.com.

Embora atrativo para os dois lados, o negócio requer cuidados dos proprietários. Vice-presidente de Locações do Sindicato da Habitação do Rio (Secovi Rio), Antonio Paulo Monnerat alerta que é preciso colocar na ponta do lápis os custos com manutenção de móveis e eletrodomésticos e de limpeza do imóvel, além de considerar os períodos de vacância, pois proprietário tem que arcar com IPTU e condomínio. “Traz lucros, mas não é negócio para amadores”, diz Monnerat.

Você pode gostar