Por bruno.dutra

São Paulo -  O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) rebateu durante o encerramento do evento Ethos 360º, em São Paulo, as críticas da candidata à presidente, Marina Silva (PSB) aos BNDES. Em entrevista ao “Bom Dia Brasil”, da Rede Globo, a candidata disse que pode ter havido concessão de recursos sem discernimento e questionou o uso político na concessão de financiamentos originados de bancos públicos.

“Não há nem nunca houve empréstimo com qualquer critério politico. O BNDES decide com base na avaliação de critérios de risco e retorno dos projetos e o que demonstra isso é a baixíssima taxa de inadimplência nas operações de credito, hoje em 0,07%”, afirmou.

Em relação à notificação do Tribunal de Contas da União (TCU) ao BNDES, que terá cinco dias para mostrar todos os dados sobre investimentos feitos no frigorífico JBS, da família Batista, Coutinho preferiu não antecipar um comentário.

“Pedi uma audiência, mas não quero antecipar. Conseguimos nos entender com o TCU preservando o sigilo bancário e a intimidade financeira das empresas que a lei nos manda observar”, afirmou.

O TCU cobra mais transparência do banco em meio a supostas irregularidades em injeções de capital na operação que levou o BNDES a controlar 22,99% das ações do JBS.

Você pode gostar