Por diana.dantas

São Paulo - Os saques na caderneta de poupança em abril atingiram R$ 156,36 bilhões em abril e superaram os depósitos em R$ 5,85 bilhões no mês, informou nesta quinta-feira o Banco Central.

No fim do mês passado, o estoque da caderneta de poupança no país somava R$ 648,3 bilhões, volume que inclui a rentabilidade do período, de R$ 3,87 bilhões.

Foi o quarto mês consecutivo de saída líquida. Com isso, de janeiro a abril, os saques ultrapassaram os depósitos em R$ 29,1 bilhões.

Cerca de 65% dos recursos da poupança deve ser aplicados pelos bancos no país em financiamento imobiliário.

A queda na captação de recursos pela poupança acontece num momento em que a Caixa Econômica Federal, maior concessora de empréstimo habitacional do país, com cerca de três quartos do mercado, tem elevado juros e apertado as condições de financiamento para o setor imobiliário.

Desde a última segunda-feira, a Caixa reduziu a cota de financiamento de imóveis usados para operações com recursos da poupança (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), de 80% para 50%.

Os saques na caderneta de poupança acontecem também em paralelo ao aumento da taxa básica de juro Selic, que referencia a rentabilidade de investimentos em títulos públicos pós-fixados, num esforço do governo para conter a inflação.

A Selic está atualmente em 13,25% ao ano. A remuneração da poupança é de 6% ao ano, acrescida de Taxa Referencial (TR).

Você pode gostar