Por monica.lima

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), na cidade de São Paulo, variou 0,83%, na segunda prévia de maio, o que representa 0,21 ponto percentual a menos do que o resultado apurado na primeira prévia quando houve alta de 1,04%.

Dos sete grupos pesquisados, o de habitação é o que mais compromete o orçamento das famílias. Porém, apresentou diminuição na intensidade de correções ao passar de uma alta de 1,93% para 1,26%.

No grupo alimentação, o índice oscilou 0,82% . Na última medição, a taxa foi 0,83%. Outros três grupos tiveram aumentos com taxas inferiores aos registrados na apuração passada: despesas pessoais, de 0,15% para 0,13%; saúde, de 1,95% para 1,78%, e vestuário, de 0,69% para 0,58%.

Noss grupos transportes foi constatada elevação de 0,3% para 0,39% e, em educação, de 0,08% para 0,09%. O cálculo do IPC é feito sobre os produtos e serviços consumidos pelas famílias com renda até dez salários mínimos e a coleta de preços da segunda prévia de maio foi feita entre 16 de abril e 15 de maio comparada ao período de 16 de março a 15 de abril.

Você pode gostar