Ibovespa sobe 1,01% com melhora do cenário internacional

Forte avanço de papéis do setor de mineração e siderurgia e tendo como pano de fundo também contribuiu para a alta

Por O Dia

São Paulo - A Bovespa começou a semana no azul, guiada pelo forte avanço de papéis do setor de mineração e siderurgia e tendo como pano de fundo a melhora no ambiente acionário global, após acordo na zona do euro para um resgate da Grécia.

O Ibovespa subiu 1,01%, a 53.119 pontos. O volume financeiro do pregão, contudo, somou apenas R$ 5,43 bilhões, mostrando que os agentes financeiros ainda estão reticentes com a bolsa paulista, particularmente com o front doméstico.

Entre as apreensões locais está o quadro político conturbado que, na visão de agentes financeiros, pode dificultar o cumprimento de compromissos fiscais pelo governo, considerados essenciais para retomada confiança e do crescimento.

"O clima político ainda é ruim com muitos rumores de pressões políticas sobre o ministro Joaquim Levy (Fazenda) e sobre mudanças na meta fiscal", disse o trader Thiago Montenegro, da Quantitas Asset Management.

No final da semana passada, o UBS cortou as ações brasileiras para "underweight" em seu portfólio para os mercados emergentes, citando entre outros fatores um cenário macroeconômico corrente muito fraco.

No exterior, após negociações durante toda a noite, líderes da zona do euro fizeram a Grécia ceder grande parte de sua soberania à supervisão externa para obter ajuda financeira a fim de manter o país no bloco de moeda única.

O índice acionário europeu FTSEurofirst 300 encerrou em alta de 1,88%, enquanto o norte-americano S&P 500 avançou 1,11%.

Também repercutiam números melhores do que o esperado sobre o comércio exterior da China no mês passado, enquanto as bolsas chinesas subiram, alimentando esperanças de alguma estabilização.

DESTAQUES

=VALE disparou à tarde, com os papéis preferenciais fechando em alta de 6,59% e os ordinários com ganho de 8,12%, após comentários do diretor executivo de Ferrosos da mineradora, Peter Poppinga, sobre ajuste na capacidade anual de produção da companhia e de que o preço da commodity atingiu o piso. Para a equipe do BTG Pactual, as declarações foram na direção de que a empresa está trabalhando nos fundamentos para uma companhia melhor em 2018, mas avaliou que o impacto no mercado de minério de ferro das declarações era "zero".

=CSN também reverteu perdas iniciais e subiu 7,05% influenciada pelos comentários sobre minério de ferro do executivo da Vale, uma vez que a empresa também produz a commodity. A siderúrgica ainda esteve no radar em meio a comentários do presidente Benjamin Steinbruch de que trabalha para vender ativos ainda este ano, entre eles a participação na concorrente USIMINAS, que fechou com as preferenciais em alta de 5,61%, enquanto as ordinárias caíram 3,83%. Em dia de alta no setor siderúrgico, GERDAU avançou 4,30%.

=GOL saltou mais de 15%, após anunciar na sexta-feira acordos financeiros com a parceira norte-americana Delta Air Lines de até US$ 446 milhões para reforçar sua liquidez. O movimento foi amplificado por cobertura de posições vendidas, com "realização de lucros" nessas posições após a ação cair quase 18% este mês até a sessão anterior. O Bank of America Merrill Lynch disse que a notícia era positiva para a Gol, destacando que demonstra comprometimento de longo prazo dos controladores e da Delta com a companhia, mas disse permanecer cético com o cenário para companhias aéreas brasileiras, pela limitada visibilidade e falta de indicação de melhora estrutural nos fundamentos do setor para 2016.

=GRUPO PÃO DE AÇÚCAR subiu 6,58%, após reportar receita líquida consolidada de R$ 16,1 bilhões no segundo trimestre, avanço de 6% na comparação anual. "Tendo em vista a deterioração do cenário macro nos últimos meses, a empresa conseguiu mostrar números satisfatórios, com destaque para a recuperação da bandeira Extra, manutenção do sólido crescimento do Assaí e evolução da Cnova", disse a corretora Concórdia, em relatório a clientes, reafirmando sua visão positiva para Pão de Açúcar no longo prazo, enquanto no curto "a expectativa ainda é de desaceleração da atividade".

=ITAÚ UNIBANCO e BRADESCO avançaram 0,92% e 1,83%, respectivamente, também respondendo por relevante suporte para a alta do Ibovespa, com o BTG Pactual destacando positivamente para o setor a edição de medida provisória que eleva o limite do comprometimento de renda com crédito consignado de 30% para 35%, sendo 5% destinados exclusivamente para a amortização de despesas contraídas por cartão de crédito.

=PETROBRAS fechou com as preferenciais em alta de 0,25% e as ordinárias estáveis, em sessão em que o petróleo recuou. Dados divulgados pela estatal na sexta-feira, mostrando que a produção total de petróleo e gás natural no Brasil recuou 0,1% em junho ante maio, para 2,553 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), também ocuparam as atenções.

Últimas de _legado_Notícia