Grupo de Lula vê outros nomes em ministério afinados com corrente adversária

Além dos ministros que a corrente interna do PT Mensagem ao Partido conseguiu colocar no ministério de Dilma, até entre os escolhidos ligados à tendência majoritária CNB estão nomes com muito bom trânsito com o grupo

Por O Dia

A corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), majoritária no PT e com o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva em suas fileiras, vê um amplo favorecimento na composição do novo ministério de Dilma Rousseff à tendência adversária Mensagem ao Partido. Entre os petistas nomeados para o ministério, a Mensagem emplacou três: Pepe Vargas (Relações Institucionais), Miguel Rossetto (Secretária-Geral da Presidência) e José Eduardo Martins Cardozo (Justiça). Integrantes da CNB dizem que até entre os representantes de seu próprio grupo escolhidos para o ministério estão petistas com excelente trânsito com a Mensagem. Citam aí Ricardo Berzoini (Comunicações), Jaques Vagner (Defesa) e Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário).

Dilma estaria afastando petistas mais próximos de seu padrinho Lula e nomeando outros de sua confiança. A Mensagem ao Partido tinha chances ainda de conseguir mais um ministro. Esta corrente tem entre seus integrantes o ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro. Terceira maior força no PT, é um coletivo de tendências e abriga, entre outras, a Democracia Socialista (DS). A DS, embora oficialmente no grupo, apresentou separadamente ao presidente nacional do PT, Rui Falcão, sua lista de cargos pretendidos no novo governo. Há muita disputa ainda, nos bastidores, pela obtenção de postos, por exemplo, em delegacias do Incra, INSS, ministérios da Saúde e Trabalho e representações ministeriais nos Estados. Todas as correntes do PT apresentaram listas de nomes para esses cargos e para manter outros já indicados. 

Haddad faz auditoria em contratos

A PricewaterhouseCoopers venceu licitação para fazer auditoria nos contratos de coleta de lixo da prefeitura de São Paulo. Em 2004, durante a gestão de Marta Suplicy (PT), os consórcios Loga Ambiental (grupos Solvi e Estri) e Ecourbis (Queiroz Galvão) obtiveram a concessão dos serviços pelo período de 20 anos. A prefeitura paga mensalmente aos dois consórcios R$ 70 milhões. “A expectativa da empresa é que a auditoria forneça elementos para um reequilíbrio econômico financeiro. Para a prefeitura, a intenção é adequar o contrato de concessão com o novo plano de gestão de resíduos”, afirma o secretário de Serviços, Simão Pedro.

Resultado positivo

O governo de Minas Gerais encerrará o ano de 2014 com resultado positivo. A receita chegou a R$ 72,9 bilhões e a despesa a R$ 72,7 bilhões. A previsão para ambos os casos era de R$ 75 bilhões. Para o ex-governador Alberto Coelho (PP), só não foi melhor por causa da redução de repasses federais.

Projeto pode parar por falta de recursos

O projeto Memória, do Instituto de Pesquisas e Estudos de São Paulo, que tem o objetivo de resgatar a história do movimento sindical no País, corre o risco de ter suas atividades encerradas por falta de recursos. Coordenado pelo ex-sindicalista Sebastião Neto, o projeto foi fonte de informações para a Comissão da Verdade de São Paulo. Entre outras iniciativas, relatou a atuação da Oposição Metalúrgica de São Paulo, durante o período do regime militar.

Senador ajuda em negociações

O senador Humberto Costa (PT-PE) teria tido um papel importante, segundo políticos próximos, na aproximação entre a direção dos Diários Associados no Nordeste e os empresários Cândido Pinheiro Júnior e Jorge Lima Pinheiro, do grupo Hapvida (maior operadora de saúde do Norte e Nordeste), para discutir o arrendamento de emissoras de televisão e jornais do grupo em Recife, Natal, João Pessoa, Campina Grande e Fortaleza. O Hapvida atende 2,8 milhões de clientes.

Últimas de _legado_Notícia